Diretora administrativa: Rosane Michels
Quinta-feira, 25 de Abril de 2024
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
Aguas coleta
Novo imposto seletivo
Data:28/07/2023 - Hora:22h00

De acordo com o texto da Reforma Tributária aprovada na Câmara dos Deputados, foi autorizada a instituição de um novo imposto, assim denominado como seletivo, ou seja, de acordo com a redação deste novo imposto, o mesmo incidirá sobre produção, comercialização ou importação de bens e serviços prejudiciais à saúde ou ao meio ambiente nos termos da lei. 

Importante ressaltar que tanto a saúde como o meio ambiente desfrutam de proteção constitucional, inserindo-se a saúde dentre os direitos sociais e o cuidado do meio ambiente. 

Contudo, está sendo dada uma carta branca para que o Congresso Nacional venha determinar quais as operações prejudiciais à saúde e ao meio ambiente que serão passíveis do novo imposto. 

A expressão "bens e serviços prejudiciais à saúde ou ao meio ambiente", como se observa, permite muitas interpretações. 

A título de exemplo, a lei pode determinar que o imposto novo pode incidir sobre a produção de energia elétrica, sob o fundamento de que a mesma é prejudicial ao meio ambiente, uma vez que o nosso sistema faz uso de termoelétricas movidas a diesel e gás natural, os quais emitem alta quantidade de gás carbônico. 

Da mesma forma, a lei pode classificar a produção de açúcar e sal como prejudiciais à saúde e da mesma forma, fazer incidir o novo imposto. 

Portanto, se for analisar do ponto de vista técnico, de alguma forma certos produtos acabam sendo prejudiciais ao meio ambiente e à saúde. 

Por certo, o que deve ser observada na futura legislação é a intensidade do dano que tal produto possa causar, evitando que se tenha uma interpretação de que a incidência do novo imposto alcance todo e qualquer produto nos moldes dos exemplos mencionados. 

A preocupação do ponto de vista tributário é que o custo fiscal é repassado para o consumidor final. 

Sendo assim, a meu ver caberia ainda ao Senado Federal restringir ainda mais o texto para que não deixe que posteriormente o imposto novo seja exigido de forma indiscriminada, hipótese que resultará por mais esse motivo, o temido aumento da carga tributária. ___***Victor Humberto Maizman é advogado e consultor jurídico tributário. 

 

*Os artigos são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Correio Cacerense.  




fonte: Victor Humberto Maizman



Não foi possível realizar a consulta ao banco de dados