Diretora administrativa: Rosane Michels
Quinta-feira, 25 de Abril de 2024
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
Aguas coleta
COLUNA RELIGIOSA: Retire de suas mãos as pedras que julgam os outros
Data:29/03/2023 - Hora:07h08

 “Os mestres da lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Levando-a para o meio deles, disseram a Jesus: ‘Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?’. Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-Se, começou a escrever com o dedo no chão. Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: ‘Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra’. E tornando a inclinar-Se, continuou a escrever no chão. (João 8, 3-8)  

A atitude de Jesus nos dá a certeza de como Deus se comporta diante de um pecador. Você imagina como Jesus se comportaria diante de uma pessoa necessitada de misericórdia. Será que Jesus seria capaz de apedrejá-la? A atitude de Jesus já nos revela: “Inclinando-Se começou a escrever”. E esse gesto de Jesus nos remete a uma coisa muito interessante na Palavra de Deus: o dedo de Deus. O dedo de Deus que escreveu as duas tábuas de pedra, que foram entregues, depois, para Moisés. Agora, é o dedo de Jesus que escreve a nova lei não em pedras, mas na terra, porque ela não será esculpida, mas, agora, vai ter a leveza de uma poeira de terra, por causa da fragilidade humana, que é capaz de errar, mas Deus é capaz de amar.  

Vejam, a atitude de Jesus demonstra a grandeza do amor de Deus, a lei é a mesma, mas os corações são diferentes. Cada pessoa é um universo, cada pessoa tem uma história. Eu não posso julgar com os mesmos os critérios todas as pessoas, aliás, eu nem posso julgar, mas eu não posso adotar os mesmos critérios ao olhar para uma ação de uma pessoa.  

Senhor quer retirar das nossas mãos as pedras do julgamento contra os nossos irmãos, porque nós também somos frágeis e nós precisamos de misericórdia e não de pedras 

Nós sabemos que a moral cristã, quando fala sobre os gestos humanos, trabalha com os atenuantes e os agravantes. E, para julgar um ato humano, precisa levar em consideração três coisas: o objeto; a intenção; e as circunstâncias. Então, muita calma na hora de julgar alguém, nunca fique com a primeira notícia. Atenção: se Jesus tivesse ficado com a primeira informação que levaram para Ele, teria apedrejado aquela mulher, mas, certamente, existia um mundo por detrás daquele coração; e Jesus, conhecedor dos corações, sabia, de fato, quem era aquela mulher. Por isso, muito cuidado com a primeira notícia, sobretudo nos tempos de hoje, que existem muitas mídias que são sórdidas, que acusam, que julgam e sentenciam uma pessoa num único dia. 

Pobre mulher do Evangelho! O adultério foi um ato de desamor, mas isso se tornou a sua condenação à morte. Menos mal que os seus atos de amor estavam escritos no coração de Jesus, porque Jesus viu que aquela mulher era muito mais do que o seu erro. Jesus foi capaz de ver por detrás daquele erro, pois uma pessoa não é simplesmente um único erro.  

Por isso, nós pedimos: “Senhor, escreva nos nossos corações a Tua lei e retira das nossas mãos as pedras do julgamento contra os nossos irmãos, porque nós também somos frágeis e nós precisamos de misericórdia e não de pedras. 

Sobre todos vós, desça a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém! 


Padre Donizete Ferreira - Sacerdote da Comunidade Canção Nova. 

 

 



fonte: Padre Donizete Ferreira



Não foi possível realizar a consulta ao banco de dados