Diretora administrativa: Rosane Michels
Quinta-feira, 25 de Abril de 2024
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
juba outra
Pandora Tupiniquim
Data:22/1/2022 - Hora:08h48
Pandora Tupiniquim
Reprodução Web

Abrindo a caixa preta do avião, peritos apresentam o laudo mais prá caixa de Pandora tupiniquim da nave Santa Maria arriada na América do Sul há mais de 500 anos, quando gajos saloios aqui aportaram em busca das Índias. Neste contexto, a carta de Pero Vaz de Caminha, claro, atualizada seria outra, senão vejamos: A Ilha de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz e Pátria Amada (?) Brasil, dobrou nos últimos 20 anos o número de favelas. Nestes espaços miseráveis, cerca de 20 milhões de brasileiros, (equivalente a população do Chile) declararam passar 24 horas sem ter o que comer; mais de 25 milhões de pessoas não tem certeza de como se alimentarão no dia seguinte e outros 74 milhões, vivem inseguros e temem acabar nestas ruas de amargura. Estes dados estão registrados no inquérito conduzido pelos pesquisadores do Projeto Escola Brasileira de Segurança Alimentar, usado pelo IBGE, feito em 1.662 domicílios urbanos e 518 rurais. Estes dados registram também que nos últimos 7 anos nosso PIB encolheu 7,2%. Como se não bastasse a violência da fome, dados da Unicef apontam que a cada 24 horas o Brasil perde 19 crianças ou adolescentes, vítimas fatais do submundo do crime e no mesmo período, 123 meninas negras de até 19 anos são vítimas de estupro. Paralelo a fome, miséria e mortes violentas, a tal Pátria Amada só dispõe de 38% de esgoto tratado e dos 5.570 municípios, 2.659 não monitoram a qualidade de água, sendo que 35 milhões de cidadãos não tem acesso à água tratada potável e mais de cem milhões de moradores não tem rede de esgoto. Trocando em miúdos, com 40 milhões de pessoas na linha da miséria ou insegura quanto ao básico da vida, a alimentação, a economia quebrada ao cubo, fica difícil alimentar esperanças para um breve futuro, inclusive no que tange a pandemia que pesa neste estagflação. Sem pessimismo algum, acreditamos sim, num amanhã melhor, apesar dos pesares, já que independente de governos, o brasileiro é solidário durante as intempéries sociais. Pois sim, ó Cabral, aberta a Caixa de Pandora tupiniquim, esta é infelizmente, a realidade desta terra além-mar em que se desmatando tudo dá, fome, miséria e mortes. 




fonte: Da Redação



Não foi possível realizar a consulta ao banco de dados