Diretora administrativa: Rosane Michels
Quinta-feira, 25 de Abril de 2024
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
juba outra
VacinZás-Trás
Data:14/12/2021 - Hora:10h24
VacinZás-Trás
Reprodução Web

De repente, uma variante da Covid-19, a ormicron, se torna a ameaça a todos, mesmo os vacinados sem a segunda dose e ou de reforço, e que são muitos. Quem pensava estar livre do vírus, alguns acomodados só com uma dose, abolidos da máscara e do álcool gel, favoráveis aos ajuntamentos sociais, tornam-se alvo da nova e fatal cepa oriunda da África. Observamos multidões em estádios de futebol, gente em festas, shows, raros com máscaras. Até parece que a Covid-19 foi extinta e que tudo voltou ao normal. Ledo engano, gente, a redução dos casos de internações, intubações e ou óbitos, devem-se às ações dos governadores e prefeitos, com medidas sanitárias exigentes, inclusive com multas aos abusados, lockdowns do comércio, que aliás, diga-se de passagem, foi um parceiro do poder público com a oferta de álcool gel nos estabelecimentos. Alguns mais exigentes, adotaram a aferição de temperatura dos clientes, tudo para evitar a proliferação do vírus. Este trabalho que salvou milhões de vidas no país, com méritos, ratifique-se de governadores e prefeitos, amparados pelo Supremo Tribunal Federal, não pode ser relegado a segundo plano, quando temos pela frente além da fatal ormicon, as festas de fim de ano e pouco adiante, o carnaval, eventos de mobilização social sem controle. Pensando nisso, a prefeita municipal de Cáceres Eliene Dias decidiu a exemplo de várias cidades, suspender o reinado de Momo em 2022, uma medida correta, que até pode desagradar alguns, mas com certeza, salvará muitas vidas. Vacinzás-Trás, foi o termo que usamos, junção de vacina e cinzas. Trocando em miúdos Zás-Trás, rapidez com as vacinas e Cinzas, da quarta-feira pós carnaval, festejo de ajuntamentos, perigo à vista e que mercê da decisão da prefeita Eliene, evitará luto no luxo da folia. Já diz o ditado que prevenir é melhor que remediar e o remédio contra a Covid-19 e suas variantes é somente a vacina com duas doses e reforço. Se estamos vencendo a batalha contra o vírus, a meta é vencer a guerra e nesta luta, sacrifícios são necessários na defesa da vida. Vacinas Zás-Trás e que após um Natal e Reveillon, com total responsabilidade, estejamos vivos, depois das Cinzas da quarta quaresmal, para saudar a Páscoa. É o que governantes sensatos pensam e agem para que todos, mesmo os céticos de oposição possam se livrar da fatal pandemia e ou suas sequelas. VacinZás-Trás, que a vida agradece e viver é preciso. A folia pode esperar e quem ama a si e ao próximo não vai abrir alas para o vírus. In-fine: Lembram do Zorro? Pois é, quem não usa máscara é Tonto. Então, fica gel que viver ainda vale a pena, Bom Dia! 

 

 




fonte: Da Redação



Não foi possível realizar a consulta ao banco de dados