Diretora administrativa: Rosane Michels
Terça-feira, 24 de Abril de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Gavinhas e Gafanhotos
Data:09/06/2015 - Hora:08h49

Estamos praticamente no meio da 11ª Semana do Meio Ambiente, aberta no final de semana, quando apesar dos pesares, muita gente, relevando as mazelas de Gavinhas e Gafanhotos, comemorou na última sexta feira, 5, o Dia Mundial do Meio Ambiente. Somos relativamente privilegiados se comparados a outros biomas de Mato Grosso por estarmos numa área de contribuição hídrica do Pantanal fica nas porções altas, as cabeceiras dos rios Paraguai, Sepotuba, Jauru e Cabaçal, que fornecem cerca de 30% das águas que mantém o pulso de inundação da planície pantaneira. Com a assinatura do documento Pacto das Cabeceiras ontem no Casarão do Parque Mãe Bonifácia, a proposta de desenvolvimento sustentável, surge como uma salvaguarda de nosso rico paraíso pantaneiro, alvo de predadores contra o que existe de mais sagrado, na vida, a natureza. A gente só espera, que tudo não fique apenas em propostas, das quais o povo sensato anda de saco cheio e que os objetivos consoante prega a superintendente de Educação Ambiental da Sema, Vânia Montalvão, qual seja, a de promover diálogos e reflexões críticas entre os diversos setores da sociedade, tanto urbana quanto rural, para os impactos da ação humana ao meio ambiente, prospere. Não podemos esquecer-nos da covarde, absurda e impune ação das Gavinhas e Gafanhotos que no cotidiano devastam o meio ambiente, seja traficando animais, roubando essências, poluindo rios, desmatando milhares de hectares de florestas, no país detentor da segunda maior cobertura vegetal do mundo, ficando atrás apenas da Rússia. O processo de devastação de nossas florestas acarreta vários fatores negativos ao meio ambiente, como a perda da biodiversidade, empobrecimento do solo, emissão de gás carbônico na atmosfera, alterações climáticas e erosões, entre outros. No geral, o reino tupiniquim perdeu aproximadamente 93% da cobertura vegetal da Mata Atlântica, restando apenas 7%; a Caatinga teve sua vegetação reduzida pela metade devido ao desmatamento, cerca de 500 mil hectares devastados/ano; O Cerrado, a partir da década de 1950 intensificou-se o desmatamento em sua área e conforme estudos do Ministério do Meio Ambiente, 67% do bioma sofreu modificação. Na Amazônia Legal, somos os campeões de violação ao meio ambiente via desmatamentos, só entre abril e maio deste ano, aproximadamente 10 mil hectares de áreas com desmatamento ilegal foram embargadas durante operação conjunta entre Superintendência de Fiscalização e Batalhão da Polícia Militar Ambiental. Entre o dia 1º e 30 de abril, 95 pontos em 11 municípios foram fiscalizadas pelas equipes, totalizando 9.185 hectares de áreas identificadas com a prática do crime ambiental. Dado vergonhoso, Mato Grosso liderou a lista dos municípios que mais devastaram a floresta no mês passado, em março último, a Amazônia registrou 58 km² de alertas de desmatamento, quase três vezes maior do que os 20 km² apontados no mesmo mês de 2014. Os tratores, correntões, os peões aliciados por jagunços dos fazendeiros e grileiros, todos bandidos ocupam a floresta e destroem como gafanhotos famintos pelo verde das cédulas de R$ 100,00 ou dólares, pouco se importando com a vida do planeta. Sejamos claros, se a Natureza é Vida, e ninguém em são consciência pode negar, eles são assassinos do meio ambiente, matando aos poucos e por tabela da vida humana no planeta, porque sabem da fragilidade das leis. Tudo bem que a SEMA e o IBAMA agem, monitoram, vistoriam, aplicam multas, mas bandido no viés da safadeza, desafia tudo e todos, não por acaso, 15 engenheiros agrônomos foram autuados no final de semana, por emitirem laudos falsos que acobertaram o desmatamento ilegal em várias regiões de Mato Grosso. A prova da impunidade, alguns desses engenheiros também bandidos, já receberam até três autos de infração no período 2014/2015 e acreditem, estavam na ativa, (Alô CREA, cadê você?) assim como os poderosos desmatadores, que compram fiscais marginais, não pagam multas, continuam devastando a natureza.




fonte: Editoria



anuncie aqui AREEIRA JBA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Curtindo as belezas da cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra as amigas Marinalva Denipotte Manfrin e Fabíola Campos Lucas. Uma ótima estada no País vizinho. Votos de breve recuperação a amiga Suzy Kristina dos Santos, que sofreu uma torção no tornozelo e está de repouso impossibilitada de andar. Estamos na torcida pela seu reestabelecimento. Grande abraço. Nosso Destaque VIP para a competente equipe do Kaskata Flutuante que serve a melhor comida da cidade. Forte abraço a família Natal que está a frente de bem servir os cacerenses e visitantes. Pra hoje fica a dica de saborear aquele delicioso peixe a La Kaskata.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados