Diretora administrativa: Rosane Michels
Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Mané Futrica: Coisa covidizer
Data:11/06/2020 - Hora:08h14
Mané Futrica: Coisa covidizer
Reprodução Web

Heureca; Cheguei, Baixei, Saravei, Bom Dia pra quem [é de Bom Dia, Salamaleico, Namaste, Shalom, que o Mané Futrica depois de uma noite na UTI, um boteco que furou a quarentena, se ungiu de álcool gel depois de devorar um feijão tropeiro com grãos milagrosos de um tal pastor, e, de mansinho, aportou em Cáceres pela madruga. Com aquele tipo Séxi-agenário, jeito de ator-doado, quase leva multa perto da banca do Daud, só porque estava sem máscara na cara. É que a dita cuja (suja) tava no saco, já que a OMS diz que máscara usada tem de ser guardada no saco.  Vexame, tive de tirar a calça e a máscara da cueca e mostrar a fucinheira suja de Coco-vírus depois de tanto pum. Com general no Ministério da Saúde, não se pode brincar, não é mesmo? Ainda bem, que são vários os trambiques prá tapear o piolho de morcego made in China, basta beber água com cloro da bendita do pantanal e jogar na quina da loteca, que engana o bichim; Engana mas não mata. Tem também o tal chá de alho, que uma maluca diz que faz milagres; Se mata, são outros quinhentos, mas só pelo bafo, mantém o tal distanciamento dito social. Imagina alho com álcool, aquele bafo de jiboia, nem com máscara, vote shomano; é como diz a polaquinha do JCC, só Jesus na causa. E a gente fica aqui só imaginando, o cara em confinamento, de mamando a caducando, não se assusta se o governo decide vacinar o pessoal contra a aftosa, pode ser que vale prá covid, né? Já imaginaram se depois de tudo isso, a vacina da mardita for supositório? Lascou-se, seria azar ao cú-bo, o pobrema é se o bagual gostar. Enquanto o pesadelo continua, a gente continua de álcool gel nas mãos, liquido na goela, e, claro, máscara, mas, cuidado: se você for com a dona encrenca no Juba, confere bem pra não levar a mulher errada prá casa; covidizer, que pode acontecer, coisas das tais máscaras, que também disfarça feiura e banguelas. Prá variar, nunca imaginei entrar mascarado num banco e ser cumprimentado pelo guarda; sabiam que tem gente toda semana comprando cervejas pra quinzena no Juba? E falando em molhar o bico, o Mané aqui segue a regra o confinamento da quarentena. uma mão no copo, outra no tira-gosto, pronto, não sobra mão prá por na boca. Prá consolo de muitos, a tal Corona é igual um par de chifres, uns já tiveram, outros, ainda vão ter e muitos nunca vão saber que tiveram. Cura? Pode ser, mas um pastor disse que este milagre foi adiado devido a pandemia. Bem, amigos, piadas a parte, o Mané Futrica continua de quarentena com as sessentonas e como não vai ter FIPe  mesmo, logo mais zarpa pra Sampa. Máscara na cara e no saco dito picuá, estoques de álcool gel e liquido, mesmo porque ninguém ainda noticiou pé de cana morto pela infeliz corona. Tchau mesmo, que como diz o Lorde Dannyelvis naquela marchinha, Depois da Corona, a gente vorta pruma Laive na Sicmatur... Fui!

 




fonte: Da Redação



anuncie anuncie aqui JBA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
SEcretaria Saúde
zoom
High Society
Parabenizamos a linda Valentina Figueiredo que foi aprovada no vestibular de medicina da Unic. Merecidamente você conseguiu! E hoje os aplausos são todos para você! Parabéns! A força de vontade e a persistência trouxeram você a esse momento tão especial. Temos a convicção que essa conquista é o início de muitas outras...Que essa nova fase seja repleta de aprendizado e vitórias.  Um brinde ao casal Amarildo Merotti e Adriana Maciel Mendes, que celebraram mais um ano de casados, mais um ano de vida ungida pelas mãos de Deus. Desejamos que a felicidade continue fazendo parte do seu enlace matrimonial e que mais anos abençoados se possam acrescentar a todos aqueles que já contaram juntos. Um abraço forte a esse casal que tem fé no amor. Lançado o livro “Cáceres, Passado e presente de uma geografia poética” que proporciona ao leitor a arte em forma de poesia escrito pela ilustre cacerense Olga Castrillon Mendes, revelando a beleza histórica, cultural e religiosa da cidade com imagens capturadas pelas lentes do fotógrafo Rai Reis.  O livro valoriza e difundi a Princesinha, reconhecendo a importância e relevância do conjunto arquitetônico existente, como também o conjunto paisagístico da baía do Malheiros, rio Paraguai e Pantanal. Aplausos pelo belíssimo trabalho que teve apoio da ALMT, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer e Prefeitura Municipal de Cáceres. Fica a dica de leitura.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados