Diretora administrativa: Rosane Michels
Terça-feira, 19 de Janeiro de 2021
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Beco com Saída
Data:19/05/2020 - Hora:08h08
Beco com Saída
Reprodução Web

Com chorumelas, lenga-lengas, papos engana-trouxas, pitacos prá boi dormir, trocando em miúdos, conversa fiada mesmo, fiada que a gente paga à vista e haja grana (35% de tudo que a gente ganha e gasta via impostos), prá encher as burras dos bolsos dos políticos e economeses do patropi.  A Corona-Vírus embora concordemos seja uma praga genocida e dispenda bilhões de reais dos cofres públicos, seja em ações preventivas, profiláticas e sociais, numa análise imparcial e realista das entrelinhas, revela nas entrelinhas, o oportunismo para espertos que se aproveitam para faturar politicamente com os grandes empresários, insensíveis a dor de dezenas de milhares de famílias enlutadas. Obviamente, que ninguém gosta de ficar no prejuízo, que empresa gera mão de obra e renda; não ignoramos este aspecto fundamental, porém, não absoluto. Até compreendemos a grita dos comerciantes e industriais, dos agropecuários com portas e porteiras fechados, não é fácil realmente. Sobre o assunto parafraseamos o Presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil Felipe Santa Cruz, lembrando que um CNPJ se resgata com uma recuperação judicial (lei 11.101/2025), ao passo que os milhares de CPFs extintos pelas mortes, são eternamente irrecuperáveis. Sacrifícios, todos nós temos, prejuízos, idem, lembrando aquela historinha do boi e da boiada, questão de proporcionalidade. Vamos lá: Seu Zé tinha um boi que morreu atingido no pasto por um raio, enquanto aquele grande pecuarista perdeu 20 reses no tombamento de um caminhão gaiola na rodovia. Qual deles teve a maior perda? Este caso nos leva a real atualidade, o caso de um  famoso banqueiro que teve queda de 43,1% em seu lucro no trimestre da pandemia, ficando com apenas R$ 3 bilhões e 912 milhões lucrados no mesmo período. Coincidentemente é o mesmo cujo banco deve R$ 393 milhões ao INSS, não é executado, nem paga. Com certeza, fosse o Seu Zé do boi morto pelo raio, seria alvo do fisco. Neste sentido, já divulgamos recentemente que os 500 maiores devedores da nação somam centenas de bilhões de reais, que se executados, salvariam milhares de vidas nas atuais circunstancias. Mas, a saída sempre pela porta dos fundos e na contramão racional, é sangrar o trabalhador. O congelamento por cerca de dois anos dos salários do funcionalismo, além de SMJ ser ilegal, é injusto. Sobretudo diante da escalada do dólar, real desvalorizada em 47% só neste ano, inflação contaminada em mais de 50 % a taxa da Selic (3%) e os cambaus. Veja que o FMI prognostica 5,3% negativos para o PIB do patropi em 2020 e o Banco Central vai além, com previsão de 8% no mesmo período na Pátria Amarga Brasil. Estaríamos num beco sem saída? A resposta seria Não; desde que os políticos ditos representantes do povo (pilar do Estado), executassem os mega caloteiros e se abstivessem de sacrificar o sofrido povo trabalhador, aquele que paga impostos, agindo com austeridade sem rabo preso com os reais devedores do erário.

 




fonte: Da Redação



anuncie anuncie aqui rotary
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
rotary alimento
Multivida
High Society
Parabenizamos a linda Valentina Figueiredo que foi aprovada no vestibular de medicina da Unic. Merecidamente você conseguiu! E hoje os aplausos são todos para você! Parabéns! A força de vontade e a persistência trouxeram você a esse momento tão especial. Temos a convicção que essa conquista é o início de muitas outras...Que essa nova fase seja repleta de aprendizado e vitórias.  Um brinde ao casal Amarildo Merotti e Adriana Maciel Mendes, que celebraram mais um ano de casados, mais um ano de vida ungida pelas mãos de Deus. Desejamos que a felicidade continue fazendo parte do seu enlace matrimonial e que mais anos abençoados se possam acrescentar a todos aqueles que já contaram juntos. Um abraço forte a esse casal que tem fé no amor. Lançado o livro “Cáceres, Passado e presente de uma geografia poética” que proporciona ao leitor a arte em forma de poesia escrito pela ilustre cacerense Olga Castrillon Mendes, revelando a beleza histórica, cultural e religiosa da cidade com imagens capturadas pelas lentes do fotógrafo Rai Reis.  O livro valoriza e difundi a Princesinha, reconhecendo a importância e relevância do conjunto arquitetônico existente, como também o conjunto paisagístico da baía do Malheiros, rio Paraguai e Pantanal. Aplausos pelo belíssimo trabalho que teve apoio da ALMT, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer e Prefeitura Municipal de Cáceres. Fica a dica de leitura.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados