Diretora administrativa: Rosane Michels
Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
RésPública na Caverna
Data:28/04/2020 - Hora:06h45
RésPública na Caverna
Reprodução Web

O arranca-rabo entre o Presidente e o ex-juiz até então Ministro da Justiça e Segurança Pública demissionário, corrobora o já dito neste espaço democrático do leitor, que político não tem amigos, no máximo, comparsa e ou cúmplices. E que não se engane o amigo leitor, quando ocorre o divórcio, a ruptura entre eles, exoneração ou demissão, nenhum deles, era ou vira santo, já dizia a vovó, que Deus a tenha.  O recente fato entre  Presidente e Moro,  nos remete a seculares idos, quando Platão no livro V de A República, cita no diálogo entre Sócrates e Glauco, a assertiva de que:  "aos filhos defeituosos, se esconderão em algum lugar secreto, para que a raça dos guardiães, se conserve pura". Trocando em miúdos para Gregos e Baianos, que exemplos confirmados e sempre atuais, sirvam de alerta aos patrões e quiçá subordinados, sobretudo no campo político, onde a tolerância por vezes, faz parte de eventuais conivências. Nem sempre os ditos cargos de confiança são absolutamente preenchidos por titulares 100% de confiança, haja vista que ela não existe no extremo, quando se está na disputa a divisão do poder. Migalhas, só para o povo, pilar dito essencial ao Estado, letra morta em sua definição, senão vejamos: Estado se traduz por Território, soberania e Povo ... Constitucionalmente, o poder emana do Povo. Povo? Voltemos a República de Platão. República, já explicamos neste espaço, Rés, (coisa) Pública, (do Povo). Claro, que nas circunstancias democretinas, isto são letras mortas, como a maioria dos direitos do Povo, adormecidas em berço esplêndido da Pátria Amada, assim como o mito da caverna do filósofo grego e seus discípulos Sócrates e Glauco. Realmente, o poder quando exercido pela força, suprime reações nas sombras, impondo ao liberto, o medo da revelação pós-caverna. Parece meio complexo, mas é a grande realidade. Não queremos aqui pintar heróis ou vilões, prejulgar Chico ou Francisco, apenas mostrar mais uma vez, a sinopse deste filme real, que não vale a pena ver de novo, mas que com certeza, terá replays futuros. Enquanto o pilar do Estado. Povo... for relegado a último plano, a estrutura capenga restrita a Território e Soberania, não se manterá firme em seu conceito democrático, falível em sua bilateral disputa de mando pela força. Infelizmente, nesta queda de braço, quem paga sempre o pato e a conta, é aquele pilar desigual do Estado, o Povo. In-fine: Dentre as dezenas de milhares de mortos pela Covid-19, se viu algum político poderoso sepultado em vala comum? Internado numa UPA? Obviamente que não, afinal clínicas sofisticadas e féretros caríssimos, são bancados pelo Povo, não é mesmo?

 




fonte: Da Redação



AREEIRA anuncie rotary
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
rotary alimento
Multivida
sicredi
High Society
Parabenizamos a linda Valentina Figueiredo que foi aprovada no vestibular de medicina da Unic. Merecidamente você conseguiu! E hoje os aplausos são todos para você! Parabéns! A força de vontade e a persistência trouxeram você a esse momento tão especial. Temos a convicção que essa conquista é o início de muitas outras...Que essa nova fase seja repleta de aprendizado e vitórias.  Um brinde ao casal Amarildo Merotti e Adriana Maciel Mendes, que celebraram mais um ano de casados, mais um ano de vida ungida pelas mãos de Deus. Desejamos que a felicidade continue fazendo parte do seu enlace matrimonial e que mais anos abençoados se possam acrescentar a todos aqueles que já contaram juntos. Um abraço forte a esse casal que tem fé no amor. Lançado o livro “Cáceres, Passado e presente de uma geografia poética” que proporciona ao leitor a arte em forma de poesia escrito pela ilustre cacerense Olga Castrillon Mendes, revelando a beleza histórica, cultural e religiosa da cidade com imagens capturadas pelas lentes do fotógrafo Rai Reis.  O livro valoriza e difundi a Princesinha, reconhecendo a importância e relevância do conjunto arquitetônico existente, como também o conjunto paisagístico da baía do Malheiros, rio Paraguai e Pantanal. Aplausos pelo belíssimo trabalho que teve apoio da ALMT, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer e Prefeitura Municipal de Cáceres. Fica a dica de leitura.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados