Diretora administrativa: Rosane Michels
Terça-feira, 19 de Janeiro de 2021
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Sonâmbulos Virtuais
Data:24/1/2020 - Hora:07h16
Sonâmbulos Virtuais
Reprodução Web

Como dizia o nosso velho amigo imortal Raul Seixas, dos botecos de Sampa nos anos 80, baiano de Salvador, filho de Seu Raul, Varela e Dona Maria Eugênia: Pare o mundo que eu quero descer, mas o tempo não parou, desandou pros lados das esquisitices, modernismo, que aos poucos vai acabando com a arte natural de pensar, refletir, tirar conclusões, transformando sonâmbulos em solitários. Escravos de um mundo virtual onde o monólogo com o smartphone, troca o sentido da fala pelo do tato digital e a gente conclui que  infelizmente, foi-se o tempo em que o celular servia apenas para faz telefonemas. Há algum tempo, o acesso à internet móvel tomou conta dos aparelhos e facilitou ou dificultou a vida de muitos usuários ao redor do mundo. Tudo bem que hoje, é possível ler e-mails, interagir com amigos nas redes sociais, pesquisar preços e tudo o que a internet comum oferece, mas será que viver se resume apenas nisso?  Fazendo nossas as palavras do eminente medico Dirceu Rodrigues Alves Junior, diretor da Abramet (associação de medicina de tráfego), esta mania, que como as demais é nefasta ao comportamento humano, virou um vício, principalmente entre os jovens com até 30 anos e  o resultado pode ser trágico. Importante lembrar que no transito, usar a internet é mais perigoso que falar no celular, já que tira os olhos da rua e gera mais desatenção, fator responsável pela quarta maior causa de acidentes, superando velocidade, álcool e drogas, e fadiga.

Podem pensar que estamos exagerando, que não chega a tanto, ao exagero de alguém dirigir ligado ao monologo com o celular smart, mas não é exagero, pior que isso, milhões de jovens não conseguem ficar sem o aparelho e as infinidades de conexões que ele oferece, nem por um instante. Domingo estávamos almoçando num ambiente descontraído e na mesa ao lado, uma jovem senhora dividia o garfo com seu smart, Com o devido respeito, mas esta necessidade de estar conectado pode se tornar uma doença, causar dependência e especialistas já diagnosticaram este desvio de comportamento, como sintoma de nomofobia. O transtorno de ansiedade faz parte da caracterização dos transtornos no controle dos impulsos e, neste caso, a pessoa é acometida por uma apreensão negativa em relação aos eventos futuros, provocando sensações de inquietação psíquica e sintomas físicos desagradáveis. Essas pessoas não saem de casa sem o celular, mantêm o telefone ligado 24 horas por dia e sentem ansiedade quando o esquecem em casa. Todo comportamento compulsivo requer atenção diferenciada e a dificuldade em diminuir ou manter-se distante do aparelho telefônico pode resultar em sintomas respostas de ansiedade muito semelhantes àquelas vivenciadas em outros quadros de abstinência, como jogar ou comprar compulsivamente. Em casos mais severos, usuários ficam conectados 24 horas por dia. dormem com seus aparelhos sempre a mão, alguns até sob o travesseiro e ao menor estímulo estão prontos a verificar e responder prontamente a qualquer comentário ou solicitação. Quando o uso do aparelho começa a interferir na qualidade de sono, nas relações sociais, familiares, profissionais, este quadro requer mais atenção. Pode-se observar a cronicidade quando a pessoa não consegue focar em uma simples conversa face a face com alguém, se resistir ao impulso de consultar o aparelho celular, quando durante uma refeição não resiste ao impulso de consultar ou responder a uma mensagem, e principalmente, quando o afastamento do aparelho resulta em respostas características de ansiedade. A grande pergunta que vem a tona é a seguinte, como os pais devem se comportar para evitar que os filhos continuem nesta rede de fuga? Sim, porque neste mundo desigual nos mais diversos sentidos, de uma juventude digitalizada, que não pensa, não reflete, não raciocina, não dialoga com o próximo, a situação pode se complicar ainda mais. Apesar de leigo, entendemos que os pais devem estar atentos aos excessos e aos prejuízos e principalmente desenvolver uma educação mais eficiente para lidar com essas tecnologias sem limitar a qualidade de vida.




fonte: Da Redação



JBA AREEIRA rotary
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
rotary alimento
sicredi
High Society
Parabenizamos a linda Valentina Figueiredo que foi aprovada no vestibular de medicina da Unic. Merecidamente você conseguiu! E hoje os aplausos são todos para você! Parabéns! A força de vontade e a persistência trouxeram você a esse momento tão especial. Temos a convicção que essa conquista é o início de muitas outras...Que essa nova fase seja repleta de aprendizado e vitórias.  Um brinde ao casal Amarildo Merotti e Adriana Maciel Mendes, que celebraram mais um ano de casados, mais um ano de vida ungida pelas mãos de Deus. Desejamos que a felicidade continue fazendo parte do seu enlace matrimonial e que mais anos abençoados se possam acrescentar a todos aqueles que já contaram juntos. Um abraço forte a esse casal que tem fé no amor. Lançado o livro “Cáceres, Passado e presente de uma geografia poética” que proporciona ao leitor a arte em forma de poesia escrito pela ilustre cacerense Olga Castrillon Mendes, revelando a beleza histórica, cultural e religiosa da cidade com imagens capturadas pelas lentes do fotógrafo Rai Reis.  O livro valoriza e difundi a Princesinha, reconhecendo a importância e relevância do conjunto arquitetônico existente, como também o conjunto paisagístico da baía do Malheiros, rio Paraguai e Pantanal. Aplausos pelo belíssimo trabalho que teve apoio da ALMT, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer e Prefeitura Municipal de Cáceres. Fica a dica de leitura.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados