Diretora administrativa: Rosane Michels
Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Poço sem fundo
Data:29/11/2019 - Hora:07h21

No Brasil tudo é caro. O poder é caro porque estar no poder virou meio de vida, profissão. Acontece que de todos os poderes constituídos, nada é mais absurdo que a Câmara dos Deputados. Primeiro pelo número de deputados, 513. Temos municípios no Brasil que tem menos habitantes que deputados federais em Brasília. Neste caso os dois estão errados. Este número exagerado tem trabalhado contra qualquer entendimento lúcido devido aos inúmeros interesses econômicos, ideológicos ou de poderes, inclusive os difusos. Segundo o Portal de Transparência só neste ano a Câmara dos Deputados já fêz 388 sessões de plenário, 1.847 reuniões das comissões permanentes, 480 reuniões de comissões temporárias, dentre tantas andanças por corredores e bate-boca. Sabe quanto nos custou? R$ 4,62 bilhões, o que corresponde a 73,94% do orçamento previsto para ser gasto até 31 de dezembro de 2019.

O resultado é absurdo, porque de efetivo e grande até agora só fizeram a Reforma da Previdência. Mesmo assim foi mal e porcamente, uma vez que destroçaram ela toda e para nada, só penalizaram o trabalhador de baixa renda, preservaram os mega super salários, protegeram as corporações e foram covardes ao ponto, por exemplo, de não incluir os estados e municípios na reforma simplesmente para não sofrerem desgaste nas suas bases eleitorais. Esta negligencia fez com que aumentasse o custo Brasil, uma vez que exige agora de governadores estaduais esforço redobrado e despesas desnecessárias para construir suas próprias leis de previdência. Devido ao acovardamento negligente de seus 513 membros, a um retardamento na base justamente onde a população vive, que são os estados e municípios.

Só para refrescar a memória e sem entrar no mérito de qual seria a decisão: pacote anticrime? Nada até agora! Revisão da lei de armamento? Nada até agora! Reforma tributária? Nada até agora! Reforma administrativa? Nada até agora. Projeto de Lei da prisão em segunda instância? Nada até agora! Em 2020 tem eleições municipais. Alguém acredita que irão trabalhar? Detalhando o custo para você entender: em 2019, na legislatura número 56, que é essa que tomou pose este ano, já foram gastos, na soma de todos os deputados, com cota: R$ 146.795.767,60; verba de gabinete: R$ 474.709.421,26; auxílio-moradia: R$ 6.405.839,38; viagens oficiais: R$ 5.518.842,80. Preste atenção que não estou tratando aqui de funcionários e nem da remuneração dos próprios deputados. Não há nada mais caro do que você pagar por uma coisa que não funciona. Se funcionasse já seria caro, agora imagina não funcionado.***___ João Edisom de Souza/Cuiabá.

 



fonte: João Edisom de Souza



JBA anuncie aqui AREEIRA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
Multivida
High Society
Brinde ao casal Xonei e Selma Ourives pela passagem de mais um aniversário de casamento. Durante esses 20 anos de caminhada a dois muitos obstáculos foram vencidos, muitas alegrias e tristezas foram compartilhadas, mas em todos os momentos o amor foi o alicerce. Parabéns e que Deus abençoe sempre vocês!!! Abrilhantando nossa High Society a jurista Cibelia Maria Lente que recebeu homenagem pelo Jubilei de Prata da Faculdade de Direito da Unemat. Conhecedores que somos da sua dedicação e amor a profissão congratulamos desse reconhecimento. Com ligeiro atraso, mas em tempo de felicitar  o jornalista Luizmar Faquini, que ontem marcou mais um golaço no placar da vida e festejou a data envolto ao carinho dos colegas de trabalho na Rádio Difusora, dos familiares e rol de amigos. Hoje nós da família do Jornal Correio Cacerense dedicamos esse espaço a você, rogando ao Criador muitas bênçãos de saúde, paz e felicidades. Que essa data se repita por muitos anos. Grande abraço!!!
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados