Diretora administrativa: Rosane Michels
Domingo, 22 de Setembro de 2019
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
Reub
Escravidão em Cáceres nos séculos XVIII e XIX
Data:16/05/2019 - Hora:08h29

A forma como o trabalho manual se desenvolveu no Brasil desde o período escravista e no contexto da pós-abolição contribuiu em larga medida para a imagem negativa que se constituiu em torno deste. Em Mato Grosso, bem como no município de Cáceres, o controle dos meios de produção estavam concentrados nas mãos dos coronéis, que ajudavam a compor a elite regional. A formação do mercado de trabalho em Mato Grosso foi um  Os dois principais locais de agrupamento de mão-de-obra que houve em São Luiz de Cáceres no fim do século XIX e início do XX, mais especificamente entre 1888 e 1920, são: a usina da Ressaca e a fábrica Descalvados. Cada uma possuía suas peculiaridades em relação à

produção e aos trabalhadores que eram recrutados para tal.

Comprada em 1872, por José Maria de Pinho, do capelão José Hipólito de Carvalho, situada na confluência dos córregos Facão e Barreiros, local onde já se fabricava rapadura e açúcar de barro, a usina da Ressaca surgiu em meio à grande entrada de capitais na região,

nela havia a produção de açúcar, aguardente e outros derivados.

Para isso eram utilizadas máquinas a vapor adquiridas na Alemanha através da firma Otto Franke de Buenos Aires, sendo que na mesma propriedade se plantava e colhia a cana-de-açúcar. Com o objetivo de atender as necessidades do consumo local, em 1905 produziu sua primeira safra de açúcar e aguardente.  Um dos fatores em comum entre a Ressaca e Descalvados foi a arregimentação da

mão-de-obra nordestina. No caso da primeira, foi devido a dificuldade em encontrar trabalhadores na própria região e pelo fato de ser barata esta força de trabalho. E o da segunda já ocorreu a questão da vinda dos estrangeiros para atuarem na produção. Esta consideração nos remete à afirmação de Florestan Fernandes acerca do destino dos ex-escravos. Pois se já tinham de competir com os trabalhadores da própria região, sua situação piora quando os proprietários ainda buscam mão-de-obra fora do local, ampliando assim a competição que os negros foram submetidos.

Em uma região como São Luiz de Cáceres, com aproximadamente 305 escravos no ano de 1887, sem contar o número de libertos ou mortos com o decorrer do tempo, percebe-se que com o surgimento destes dois empreendimentos não houve a preocupação em se manter os ex-escravos na produção após 1888. Ocorrendo exatamente o contrário, com a chegada da “mão-de-obra nacional” e dos imigrantes, ocupando os locais de trabalho nos principais empreendimentos.

A população que vivia na região de São Luiz de Cáceres não estava habituada com o trabalho determinado com o tempo do relógio. Neste sentido, a usina da Ressaca serviu como centro disciplinador da força de trabalho do município. E serviu para agrupar trabalhadores de regiões fronteiriças. No quer tange a disciplinas, o Código de Posturas da Câmara Municipal de Cáceres, proibia consoante o Art. 39. § 1º in-verbis: os jogos de parada ou aposta por meio de cartas, dados, roletes ou quaisquer e outros nas usinas, bem como realizar sambas, cururus, batuques e outros brinquedos ou divertimentos, que produzam estrando e desordem, d’esta cidade”  Neste caso, os usineiros, que se encaixavam entre os grupos de coronéis que dominavam o poder local até a década de 20, recorriam à força do Estado para controlar e disciplinar qualquer forma de resistência ao trabalho.***___ Jornalista Otávio Ribeiro Chaves - Jornal Atalaia - 10 de julho de 1887.




fonte: Otávio Ribeiro Chaves



anuncie JBA AREEIRA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
Multivida
High Society
Elegante e lindíssima Gessica Simoncele oficializou união com Igor de Souza em cerimônia preparada com muito carinho para o grande dia. Na presença de familiares, amigos e padrinhos selaram o amor. Felicidades ao casal.  Aniversariante do dia Marisa Klein Dias que recebe o carinho especial do esposo Claudio, filhos e rol de amigos. Essa coluna deseja um ano de vitórias e muita saúde. Um brinde a você...Tim tim! Empreendedora de visão, Beatriz Tavares inaugura hoje o novo espaço da Casa Marquesa com inovações agregando valores ao seu negócio. Na oportunidade recebe os clientes e amigos no fim da tarde com um coquetel. Sucessos!!!
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados