Diretora administrativa: Rosane Michels
Sábado, 24 de Agosto de 2019
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Fantasmas emperrariam a ZPE
Data:19/04/2019 - Hora:09h39
Fantasmas emperrariam a ZPE
Reprodução Web

A saída para o mar, portos, escoadouros fáceis, justificam os investimentos, com retorno custo-benefício, como em Ilhéus litoral baiano, que em 2016, tornou-se cidade-irmã de Tianjin, na China, fortalecendo a parceria na implantação de uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) na rodovia Ilhéus-Uruçuca, considerada estrategicamente importante para o País, já que funciona bem ao centro da faixa litorânea brasileira. Tianjin, banhada pelo oceano pacífico, Ilhéus, pelo atlântico. A ZPE de Ilhéus, implantada no KM 12 (BA 262), conta com um terreno de 2.250 mil m², tendo seu projeto com 9.500m² de área construída, contando com o fácil acesso ao Complexo Industrial de Ilhéus e localização estratégica, por estar localizada bem ao centro do litoral brasileiro. Ao contrário desta, as ZPEs longe dos portos marítimos, como a pretensa de Cáceres, patinam com o grave problema da distancia para escoadouros, exemplo: de Cáceres a Paranaguá,  (PR) 2028 km; ao porto de Santos (SP), 1833 km; ao porto de Mirittuba (Pará) 1700 km e para chegar ao oceano pacífico, cruzando a Bolívia, 1562 até La Paz e 586 até até o porto de Matarani, litoral peruano, uma distancia portanto, de 2148 km.  Uma das saída então para eventual viabilidade da ZPE de Cáceres seria a hidrovia Paraguai-Paraná efetivamente entrar em operação, mas as controvérsias são apontadas pela Ecoa  (Ecologia e Ação), uma ONG que acompanha os processos relacionados à Hidrovia desde sua fundação, no fim da década de 80 do século passado e entende que o projeto e suas variantes pode gerar graves impactos ambientais com repercussão social negativa, por meio de intervenções físicas, com permanentes dragagens.  Outro ponto a se discutir se refere ao artigo nº 534 do Regulamento Aduaneiro, que estabelece que as ZPE se caracterizam como  áreas de livre comércio de importação e de exportação, destinadas à instalação de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior que tem por objetivo reduzir os desequilíbrios regionais, o incremento do balança comercial e a disseminação tecnológica, bem como o desenvolvimento socioeconômico do país. No que tange ao direcionamento da tal decana ZPE de Cáceres , os processamentos para exportações seriam  madeira e mobiliário, couro, cerâmica, têxtil e confecções, carne e de grãos, lapidação de pedras preciosas e semipreciosas. Pelo que consta, exceto carnes e couro, o restante, se produzido em Cáceres e região seriam de sentinela, com produção inviável às estruturas de uma ZPE. Seriam eventuais inviabilidades a emperrar a nossa ZPE, que carecem de análises, segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, César Miranda. Por outro lado, até entendemos o otimismo do prefeito Francis, e, também mesmo torcendo pela viabilidade do complexo, sabemos quão complexo ele é, seja pela falta de matéria prima, como pelo escoamento, longínquo de portos marítimos, acesso essencial às exportações, não podemos deixar de nos preocupar. Só pra concluir, não por acaso, em 2018, o transporte pelos mares e oceanos,  foi responsável por levar mais de 90% dos produtos brasileiros ao exterior de acordo com a associação internacional de operadores de navios International Chamber of Shipping. Daí, quiçá, a viabilidade de Ilhéus.




fonte: Da Redação



anuncie JBA anuncie aqui
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
zoom
High Society
Com a presença de autoridades e associados, a equipe do Sicredi Cáceres comemorou na manhã de ontem o Jubileu de Porcelana, que marca 20 anos de trabalho da Cooperativa na cidade. Na oportunidade a gerência ofereceu aos presentes um requintado café da manhã. Esta coluna deseja a toda a equipe muito mais sucessos, na máxima de  Destaque mais que especial ao Grupo Chalana que festejou 27 anos de existência, 27 anos cultivando amizades, transformando vidas, cultivando o amor pela cultura. A todos os Chalaneiros nosso reconhecimento e aplausos. Muito feliz em rever o amigo de longas datas,  Silvio Teles, Chefe de Gabinete da Câmara Municipal de Cáceres, que atende a todos com muita presteza e cordialidade, sem esquecer é claro da competência. Desejamos um excelente fim de semana e bom descanso.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados