Diretora administrativa: Rosane Michels
Domingo, 26 de Maio de 2019
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
QI novo
Matando os tons de Cinza
Data:04/04/2019 - Hora:08h04
Matando os tons de Cinza
Reprodução Web

Esta semana fomos procurados por um leitor que nos questionava porque não havíamos divulgado um suicidio ocorrido em Araputanga, fato que por lógica, poderia ter sido noticiado, claro, poderia, mas, não deveria, como não registramos, este e outros casos similares. Lembram da tragédia daquela escola de Suzano no interior de São Paulo? A imprensa, por dever de oficio, fez a devida cobertura, alguns, cumprindo a ética do jornalismo sério, como praxe aqui no Correio, outros em tons cinza, pecando pelo sensacionalismo e muitos, assim como a gente, experiencia de 40 anos de jornalismo, sabia do maléfico efeito cascata, quase sempre em casos afins e eles aconteceram, claro, sem gravidade, até mesmo pela prevenção óbvia de docentes, dentre outros ligados a educação. Aqui mesmo em Cáceres tivemos o caso de uma escola estadual, onde um grupo no mes passado com aplicativo Massacre e 3 pontinhos ameaçava a paz reinante no estabelecimento, felizmente tudo ficou no ora-veja. Em Sinop, onde militamos na imprensa por tres anos, na semana passada, uma desequilibrada invadiu uma escola com um facão ameaçando alunos, sendo contida pelas autoridades. Pelo Brasil afora, outros casos semelhantes devem ter acontecido, assim, como a simples noticia de um suicidio, pode gerar muitos em série, já comprovado sobretudo nos casos de suicidio. A voluntária cautela da midia séria no registro de infortunios, se constata, porque tudo o que é veiculado tem um fortíssimo impacto sobre a população. A mensagem transmitida é extremamente assimilada pelos espectadores, que têm a opinião moldada a partir disso, que querendo ou não, acabam absorvendo a opinião do transmissor. E, nos casos de suicídios, existe um certo tipo de convenção profissional extra-oficial (quase como um código que ninguém fala sobre mas que todos sabem que existe) que determina: suicídios não devem ser noticiados. O suicídio é posto à margem da ação jornalística por se tratar de um ato extremamente íntimo e individual. Se os suicídios começassem a ser notícia, a imprensa teria que começar a investigar a vida do falecido e expor sua vida íntima. Algo como "Ele se matou porque foi traído pela esposa", ou "Ela tirou a própria vida por estar muito endividada", coisa que não seria nada legal para a imagem do falecido e da família.

Mas um outro motivo, e o principal, é que a publicação massiva de notícias de suicídio (pasme) impulsiona aqueles que já possuem predisposição. Quando alguém está deprimido e começa a ver outros casos de suicídio, o mesmo passa a ter mais coragem de realizar o triste ato de dar cabo da própria existência. Além de também estabelecer um clima de caos, noticiar suicídios frequentemente poderia até desestabilizar a sociedade, sem exageros. Deu pra entender porque raramente, a imprensa ética divulga os suicidios e mesmo assim, com as devidas cautelas?




fonte: Da Redação



anuncie AREEIRA anuncie aqui
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
Multivida
High Society
Felicitamos a encantadora Leiko Hayashida, que festejou mais um ano de vida e recebeu os abraços calorosos dos amigos e familiares. Que essa data seja o início de um ano de vitórias em sua vida, que a prosperidade venha ao seu encontro, e que você nunca esqueça a pessoa especial que é. Feliz aniversário! Nosso bom dia hoje ao DJ Moreno que abrilhanta as festas mais badaladas da city fazendo o som que contagia  o público de todas as idades.  Grande abraço e sucessos!!! Parabenizamos Eduardo Garcia, pela passagem de seu aniversário. Feliz Aniversário, que esse seja mais um de bons anos que virão. Felicidades sempre é o que desejamos.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados