Diretora administrativa: Rosane Michels
Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Educação X Violência
Data:18/10/2018 - Hora:08h53
Educação X Violência
Reprodução Web

Tanto se fala no Brasil em combate a violência, a mãe da corrupção, especialmente em épocas de eleição, todos os políticos acenando com soluções mágicas, seja pelas formas legais, seja pelo revide, como se houvesse respeito e aplicação das leis e, ou, a reação no mesmo nível, funcionasse. Claro, que a maioria deles, apedeutas de gravata e diplomas decorebas, sabe o caminho para pelo menos atenuar a criminalidade no país, mas preferem os discursos demagogos que dão votos, a buscar o cerne da questão. Cediço que quanto mais se investe em segurança pública e menos em educação, a violência cresce, prolifera e gera mais vitimas, sejam pessoais ou patrimoniais, não se podendo falar em combate à violência, sem resgate da educação, (lar-escola-religião), que havia no patropi nos meados do século XX e falida, agoniza nas últimas décadas. Quando se fala em lar, leia-se pais, berço, família; quando se diz escola, entenda-se professores regiamente remunerados, didática séria, pesquisas e disciplina, e no enfoque religião, a livre escolha da criança, noções ministradas por teólogo de nível superior, desprovidas de qualquer tipo de fanatismo. Engana-se quem restringe a escola como única formadora de caráter, item básico na formação cidadã como antídoto à eventual contágio pelo vírus violência, primo irmão incestuoso da corrupção. Veja o amigo, que inclusive o termo educação é explicito em nossa constituição, preconizada no artigo 205 da Carta Magna que reza ser a educação, direito de todos e dever do Estado;... e, detalhe: da família, (aqui entra o lar, os pais, a família, o berço da geração futura) e que será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho, (aqui entra a escola, o professor). Então, ponto pacífico, a educação é direito de todos, é dever do Estado e da família, ratifique-se, não apenas do Estado, tendo a  família papel essencial assim como a sociedade, aqui, pode e se deve incluir a educação religiosa independente. Devido a esta exclusão, a busca de culpas em outrem, aos discursos demagogos de politiqueiros, é que a violência tem se tornado um problema social e domestico, manifesto em diversas formas, estampada nas ruas das cidades, gerando vitimas. Sem educação no tripé família, escola, religião, de nada valerá gastar milhões, decretar intervenções, usar a força bruta, perder tempo em workshops, seminários, audiências públicas, reuniões, encontros e demais babaquices, que jamais se encontrará o fio da meada contra a violência e conseqüente corrupção. Só pra concluir, parafraseando a pedagoga Gabriella Torres, é dentro do seio da família, que a criança aprende valores, o que é e como se deve utilizar o respeito, disciplina e outros conceitos passados dentro de casa.  In-fine, educar é papel da família, sendo esta essência, um dos fatores determinantes na criação da personalidade social de uma criança. Concluindo, a educação pode ser remédio contra a escalada da violência e da criminalidade, desde que haja uma transformação na linha pedagógica e no próprio processo de ensino, e que a própria educação seja utilizada não apenas como uma forma unilateral de se transmitir conhecimento, mas de formar cidadãos, incluindo-se o supra mencionado tripé lar-escola-religião. Sem demagogias politiqueiras de salvadores da pátria, claro.  




fonte: Da Redação



anuncie aqui anuncie JBA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
QI
Multivida
zoom
High Society
O dia hoje amanheceu repleto de cores variadas e cheias de energia positiva para celebrar o aniversário do gatinho Samuel Maciel que completa dois aninhos recebendo o carinho mais que especial da vovó Isabel, dos pais Wellington e Darlene (foto) e amiguinhos.  Desejamos que sua vida  seja de alegria constante e felicidade permanente. Feliz aniversário! No mundo encantado da Lol, sensação do momento para as meninas, a gatinha Ana Luiza Pereira apagou sua quinta velinha. Em ritmo de felicidade recebeu os parabéns dos familiares e amigos que juntos cantaram o Parabéns a você. Saúde, felicidades, amor, paz e realizações são os nossos desejos, rogando ao Criador muita luz em seu caminhar.       Felicitações em tom maior  ao amigo José Carlos Menacho, popular DJ Moreno, que festejou mais um aniversário recebendo os abraços do rol de amigos. Que esse novo ano venha carregado de coisas boas, saúde e vitórias. Nosso brinde a você!
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados