Diretora administrativa: Rosane Michels
Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
QI novo
Desigualdades Regionais
Data:28/09/2018 - Hora:08h24

Volto a um tema da realidade econômico-social de Mato Grosso que abordei em artigo publicado em dezembro de 2006. Doze anos depois, o quadro continua inalterado e a realidade social continua a mesma. Daí a nova abordagem. Mais uma tentativa solitária de colocar o assunto no radar da sociedade, nos debates da atual campanha eleitoral e, quiçá, dos planos de trabalho dos candidatos a liderar os destinos do estado nos próximos anos. Falo das desigualdades sociais e econômicas de Mato Grosso. Inexplicavelmente, aceitas passivamente por toda a sociedade, inclusos os seus líderes políticos, empresariais, empreendedores sociais e militantes de causas sociais e direitos civis

São dois mato grossos convivendo no mesmo território geográfico. Um rico que ostenta opulência econômica, patrimonial, financeira e apresentando indicadores sociais idênticos ao de países como Noruega, Suécia e Dinamarca. Os habitantes dessa porção Califórnia de Mato Grosso vivem num verdadeiro paraíso de bem estar social. Têm alto padrão de renda, saúde, alfabetização, consumo e IDH elevados. Essas ilhas de prosperidade concentram-se em 43 municípios que respondem por mais de 86% do PIB do estado. Exceto Cuiabá, todos têm no agronegócio o motor de suas economias. A porção Haiti de Mato Grosso é representada pelas regiões e municípios que convivem com elevado percentual de sua população em nível de pobreza e pobreza extrema. Suas economias estão estagnadas há décadas, o analfabetismo e mortalidade infantil são muito elevados. Padrão de renda e alfabetização muito baixos. Seus jovens, socialmente fragilizados, migram para os municípios ricos. As expectativas de crescimento econômico são baixíssimas e seus administradores públicos dependem completamente de repasses financeiros obrigatórios efetuados pelos governos estadual e federal. Na maioria desses municípios, as principais fontes de rendas são os proventos oriundos dos empregos públicos e os parcos benefícios das aposentadorias. Nessas regiões a oferta de serviços públicos é de má qualidade e são muito carentes de saneamento básico.

É de reconhecimento internacional que a acelerada modernização da agropecuária de Mato Grosso proporcionou a maior revolução econômica da história do estado. O estado saltou, em algumas décadas, da posição de economia pobre e periférica para uma economia moderna e competitiva mundialmente. Apesar de ter sua matriz produtiva sustentada na produção de bens primários (grãos, carnes, fibras, madeira e minérios), Mato Grosso alcançou patamar de produção e produtividade que transformou o estado num dos maiores produtores mundiais de alimentos e uma plataforma exportadora, fazendo sua inserção na economia nacional e mundial. Mas todo esse reconhecido progresso econômico não conseguiu reduzir ou mitigar o nível de desigualdade das diversas regiões do Estado e as distorções sociais e humanitárias nela contidas. Causa estranheza assunto de tal relevância nem constar nos debates eleitorais e nem nos planos de trabalho dos candidatos a governador. Mais estranho ainda é o fato da sociedade não cobrar ou exigir com veemência necessária que os proponentes a governar o estado tenham isso entre suas prioridades estratégicas. Há de se reconhecer que a determinação de enfrentar e solucionar tal situação não é tarefa apenas de governantes. Antes, é compromisso de todos cidadãos comuns, governantes, líderes empresariais, religiosos, universidades, instituições não governamentais. Vejo como tarefa de todos estabelecer objetivos, metas e procedimentos operacionais para reduzir esse colossal abismo social e econômico que separa os dois mato grossos. ***___Vivaldo Lopes é economista formado pela UFMT, com pós-graduação MBA- Gestão Financeira Empresarial pela FIA/USP. E-mail: vivaldo@uol.com.br




fonte: Vivaldo Lopes



anuncie aqui JBA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
High Society
Parabenizamos o pequeno Samuel Maciel, que ontem festejou seu primeiro aniversário envolto ao carinho dos papais Wellyngton Maciel e Darlene Floriano e da vovó Isabel. Desejamos que continue crescendo forte e saudável, e que a felicidade se multiplique por muitos anos. Feliz Niver!!! Em contagem regressiva para a chegada do primeiro baby o casal Vander Sousa e Janaína Sedlacek que não se cabem de felicidade e ansiedade para o dia tão esperado. Estamos na expectativa também já desejando um bom parto a futura mamãe. Abraço especial a supervisora pedagógica do Colégio Salesiano Santa Maria, Fabíola Campos Lucas, que desenvolve um trabalho digno de registro. Educadora nota mil que merece nosso respeito.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados