Diretora administrativa: Rosane Michels
Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
QI novo
Educação sem Fundo
Data:09/08/2018 - Hora:08h19
Educação sem Fundo
Reprodução Web

O governo de Mato Grosso chega a gastar dez vezes mais com um preso do que com um aluno por mês. Enquanto o custo mensal com um único detento chega a ser de até R$ 5 mil, o investimento em um estudante é de R$ 500 por mês, em média. Este R$ 500,00 seria geral, total mesmo, porque esta semana, o presidente do Colegiado de Diretores Dimas Antônio Silva, disse que cada escola recebe somente R$ 68,00 por aluno ao longo do ano para despesas de custeio, como gás de cozinha para a cantina, papel higiênico, entre outros. O complemento para se chegar a merreca de R$500, englobaria, merenda, kit escolar e uniforme, (em Cáceres, o kit-uniforme é bancado pela prefeitura), sempre em atraso de repasse, motivo da paralisação por um dia dos diretores esta semana e necessária, pois a Seduc cedeu a pressão e parte do atraso será liberada até a próxima segunda feira. Conforme a lei que instituiu o fomento pelo Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica, o governo federal repassa a complementação aos estados e respectivos municípios que não alcançam com a própria arrecadação o valor mínimo nacional por aluno estabelecido a cada ano. O repasse do Fundeb é feito aos municípios com base no número de alunos da educação infantil e do ensino fundamental, de acordo com os dados do último censo escolar. Aos estados, é feito com base no número de alunos do ensino fundamental e médio. Por outro lado, os valores gastos com cada preso/mês segundo a Sejudh-MT, variam entre R$ 3 e R$ 5 mil ao mês, (dados de 2017). Entram nessa conta do sistema prisional despesas com alimentação, saúde, escola e custos de manutenção, como energia elétrica e água. Os presos ainda tem como ônus, serviços médicos, odontológicos, farmácia, etc. Nada contra gastar com o preso, mesmo porque como advogado, sempre defendemos aquilo que está preconizado na lei de execuções penais, (nem sempre cumprida), apenas discordamos na diferença de valores entre segurança e educação. Veja, que enquanto cada estudante do ensino médio ou fundamental custa ao governo cerca de R$ 500, um detento pode custar de R$ 3 a R$ 5 mil/mês; e a gente grita, porque é dinheiro nosso, sendo inadmissível que se gaste dez vezes mais com um preso, em relação a um estudante. E veja a gororoba da merenda escolar sequer serviria para uma pocilga de penitenciária, muito diferente da comida dos presos, comprada, segundo a Sejudh, em forma de marmitex para evitar que pessoas que não sejam agentes penitenciários atuem no sistema prisional, já que o serviço não é uma atividade fim. Desculpas a parte, sem tirar a razão da Sejudh e da Vara de Execuções Penais, que respeitam a LEP vigente, o que a gente questiona é o descaso dos governos com a educação, com certeza, porque dá mais ibope gastar nas tais intervenções militares que educar uma criança. Só pra finalizar, já dizia o grego Pitágoras de Samos, em 520-A.C: “educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos” e quase três milênios após, o sistema ainda anda na contramão da lógica.




fonte: Da Redação



anuncie anuncie aqui
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Parabenizamos o pequeno Samuel Maciel, que ontem festejou seu primeiro aniversário envolto ao carinho dos papais Wellyngton Maciel e Darlene Floriano e da vovó Isabel. Desejamos que continue crescendo forte e saudável, e que a felicidade se multiplique por muitos anos. Feliz Niver!!! Em contagem regressiva para a chegada do primeiro baby o casal Vander Sousa e Janaína Sedlacek que não se cabem de felicidade e ansiedade para o dia tão esperado. Estamos na expectativa também já desejando um bom parto a futura mamãe. Abraço especial a supervisora pedagógica do Colégio Salesiano Santa Maria, Fabíola Campos Lucas, que desenvolve um trabalho digno de registro. Educadora nota mil que merece nosso respeito.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados