Diretora administrativa: Rosane Michels
Sexta-feira, 20 de Abril de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Circos da Vida
Data:27/03/2018 - Hora:08h12
Circos da Vida
Reprodução Web

Hoje tem marmelada? Hoje tem Goiabada? E o Palhaço, o que é? Não é mais ladrão de mulher, que depois da liberação, em se tratando de curtir aquilo, ninguém mais precisa roubar ninguém, tá tudo liberado, a marmelada é falsa, a goiabada tem bicho e o Circo não é mais itinerante, postou-se em definitivo em Brasília, com suas atrações temerosas e tenebrosas. Atores no Jaburu, no Congresso, nos picadeiros onde se tramam as jogadas do Globo da Morte e onde a ralé existe só nas épocas de eleição. Milhões de figurantes são os equilibristas que sobrevivem com a merreca do salário mínimo; fazendo mágicas pra não morrer enquanto se espera um atendimento no SUS; pendurados nos trapézios dos agiotas dos empréstimos consignados; desviando-se dos atiradores de facas e balas, cujos algozes desafiam a insegurança pública; enfim, no Circo dos Horrores da política patropi, nem dá prá chamar de palhaços, os governantes e por dois motivos significantes: Primeiro, que provado está, palhaços somos nós, o povo e segundo, que seria uma ofensa aos palhaços artistas, heróis da resistência nos circos da vida. Desagravos a parte, de Piolim, a Bozo, de Carequinha a Tiririca, dos pavilhões humildes de periferia ao Cirquee Du Soleil, todos eles são dignos de nossa singela homenagem neste 27 de Março, o Dia do Circo. Vasculhando a história, encontramos o primeiro circo a se tornar famoso, o Maximus Circus, que teria sido inaugurado no século VI a.C., com capacidade para 150.000 pessoas e tinha como atração principal, as corridas de carruagens, com o tempo acrescido das lutas de gladiadores, apresentações de animais selvagens e de pessoas com habilidades incomuns, como engolidores de fogo. Destruído por um grande incêndio, esse anfiteatro foi substituído, em 40 a.C. pelo Coliseu, cujas ruínas até hoje compõem o cartão postal número um de Roma e, com o fim do império dos Césares e o início da era medieval, artistas populares passaram a improvisar suas apresentações em praças públicas, feiras e entradas de igrejas. Nasciam assim as famílias de saltimbancos, que viajavam de cidade em cidade para apresentar seus números cômicos, de pirofagia, malabarismo, dança e teatro e com eles, o circo revivido. Porém, só na Inglaterra do século XVIII, foi que surgiu o circo moderno, com seu picadeiro circular, palhaços e todo tipo de acrobata e malabarista. Esta casa ambulante de espetáculo, que existe há pelo menos 4 mil anos, que se notabilizou mambembe durante o Império Romano, anda meio esquecida pelos governantes. Na memória de quem soube ser criança, o Circo jamais será esquecido, mesmo que outro, o Circo dos Horrores mantenha-se presente com suas atrações nefastas, bilheterias do erário abertas aos perdulários políticos e comparsas propineiros. A gente de bem como o amigo leitor, ainda prefere os de lona, arquibancadas, sessão das moças e tabuletas nas esquinas anunciando: Hoje tem Espetáculo! A gente junta uns trocados, faz um extra, leva as crianças, a dona da pensão, dá umas boas risadas e sabe que pelo menos ali, não foi roubado. Bom Dia!   




fonte: Da Redação



anuncie aqui AREEIRA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Os parabéns de hoje é endereçado a Railson Campos, que ontem marcou mais um golaço no placar da vida recebendo os abraços calorosos dos familiares e amigos. Felicidades e muitos anos de vida. Tim, Tim. Nosso Bom dia ao casal Eugênio Florentino Muniz e Edinha Marques do Amaral que estão sempre curtindo a vida juntos. É isso aí o amor foi feito para ser celebrado todos os dias. Abraço especial as encantadoras Meire Maciel, Olga Maria Castrillon Mendes, Vera Maquêa e Marta Cocco, que se encontraram para um bate papo descontraindo na Feira Cultural e Gastronômica da Praça da Cavalhada que acontece todas as terças-feiras. Além de saborear deliciosas guloseimas a feira se tornou um ponto de encontro de amigos.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados