Diretora administrativa: Rosane Michels
Terça-feira, 21 de Agosto de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
QI
Tiro no Pé
Data:23/03/2018 - Hora:08h52
Tiro no Pé
Reprodução Web

O Fundo Emergencial de Estabilidade Fiscal, o tal FEEF, que ainda está sendo formatado pelo executivo estadual e não detalha por enquanto como funcionará em cobranças e quais setores serão afetados, para bom conhecedor, nasce morto, ou caso contrário, vai matar muita gente de infarto no bolso. O Fundo na esfera temerosa foi carinhosamente chamado de Ajuste Fiscal, como se vê, coisa de tucano, de neoliberal.  Pelaqui, o tal fundo do saco sem fundo tem expectativa de arrecadar até R$ 500 milhões em um ano e a maioria, pelo menos, os mais letrados e conscientes sabem muito bem de onde vai sair toda essa grana. Claro, que nunca dos gordos vencimentos de parlamentares e dos três escalões do governo, que ninguém é besta de legislar ou executar contra si e seus fiéis da balança. Trocando em miúdos, truco, vai sobrar sabe prá quem? Pro povo, sobretudo, porque nas entrelinhas de tais planos também chamados de fundo, o pano de fundo se abre para os impostos que são majorados e o peso deles no preço final dos produtos, com a alíquota de carga tributária reajustada do ICMS, a única explicação é que vai tirar o poder de compra do consumidor. Vamos no vácuo do deputado Dilmar Dal-Bosco, que era líder do governo até dias atrás e com razão, pesando prós e contras do tal fundo, chegou a mesma conclusão nossa, um tiro no pé, que trará resultados inversos, pois aumentando os impostos, simplesmente reduz o consumo. Traduzindo: no setor de material de construção, por exemplo, aumentando a alíquota você aumenta o percentual hoje em cima dos 10,15%, passando para 12,15%. Pode parecer pouco, mas significa um aumento de 19,70%, quando a dita inflação anual não chega aos 3%, e ganhando menos, pois o reajuste salarial está atrelado a dita inflação, se a pessoa teria o dinheiro pra investir em dez sacos de cimento, ela vai deixar de consumir os dez e vai comprar oito. E o mão grande dos 3% a mais na recolha previdenciária, reduz igualmente o poder de compra, solapado pelo aumento do ICMS, concluindo com lógica, dois pesos, com meia medida no poder de compra do trabalhador. Bosco diz e com razão que a proposta do fundo irá reduzir o poder de compra da população e no que tange aos 3% a mais na previdência, que são 9% somando-se a mais 6% do setor patronal, além do poder de compra, reduz paralelamente, o mercado de trabalho, um tiro no pé, sem duvida senhores. Querem tapar buracos de passado recente, com sacrifício de quem trabalha e quem gera emprego, cortando o pão de cada dia do assalariado, como se fosse dever do povo pagar por um VLT que não saiu nos trilhos e por outras tantas mazelas de governantes incapazes. Como se funcionário público e privado, fossem obrigados a salvar o rombo, enquanto nos palácios a festa corre solta, luxo e nababos perdulários de montão e a ralé que se lasque, chega! Bem disse o sinopense Dilmar, uma solução, já que o buraco é mais embaixo, seria trazer empreendedores para o Estado, gerar novos empregos, com isso aumentando nossa economia, nossa arrecadação, sem esfolar quem nada tem com o estrago no erário, inclusive, a maioria dos empresários de Mato Grosso, que hoje está vendendo a janta pra almoçar. Mudar o pano de fundo, seria mais populista para um governante, seja de qual estado, especialmente em ano de eleição, porque falando sério, o povo trabalhador, o pequeno e o médio empresário chegou no limite, não agüenta mais uma paulada!




fonte: Da Redação



anuncie AREEIRA JBA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
zoom
High Society
Brinde especial a nossa leitora assídua Cibeli Simões que festejou data nova no domingo e recebeu o carinho especial dos familiares, amigos e colegas da OAB. Que seus sonhos se tornem realidade e que esse ano seja repleto de alegrias, saúde, vitórias. Parabéns!!! No rol dos aniversariantes o competente delegado Alex Cuyabano a quem enviamos os votos de felicidades, rogando ao Criador infinitas bênçãos nesse novo ano de vida que se inicia. Muitas felicidades pra você Kelly Prado. Que todos os seus sonhos e metas sejam alcançados, sem esquecer do mais importante, que você seja muito, mas muito feliz.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados