Diretora administrativa: Rosane Michels
Terça-feira, 17 de Julho de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Saúde agonizante Dizem que Deus criou o ser humano e o diabo inventou o dinheiro, a grande perdiçã
Data:20/12/2017 - Hora:08h07
Saúde agonizante   Dizem que Deus criou o ser humano e o diabo inventou o dinheiro, a grande perdiçã
Reprodução Web

Dizem que Deus criou o ser humano e o diabo inventou o dinheiro, a grande perdição do mundo; por ele, se matam e matam-se, negocia-se o caráter, direitos e deveres, traem-se e se é traído, roubam e são roubados, brio e vergonha ficam em segundo plano e a felicidade torna-se prima irmã da falsidade. Dizem até que o cachorro é feliz, porque não conhece dinheiro e quando o assunto é dinheiro e obrigações financeiras, uma pergunta que vem a tona é: para onde vão os nossos impostos? Eles estão embutidos em tudo o que adquirimos ou utilizamos, ganhamos e gastamos. Além de estarem presentes em produtos, estes encargos estão inseridos também na conta de luz e no combustível e demais emolumentos e taxas que a gente paga no dia a dia. No total, são mais de 80 impostos, taxas e contribuições no país. São tantos, que elencamos a seguir os principais tributos, separadamente pela unidade responsável: os impostos da União, os dos Estados e os impostos dos Municípios. A justificativa dos economistas lacaios do governo é que os impostos são para que os governantes garantam a prestação de serviços e cumpra suas obrigações perante a sociedade, como saúde, educação, transportes, habitação, transportes, previdência social e os cambaus. Teoricamente, o retorno que a sociedade teria com o montante destinado aos impostos seriam atendimentos e serviços públicos de qualidade e eficientes, pelos quais ela pagou em forma de tributos. Isto em tese, porque, na maioria dos casos, o que se observam no Brasil são serviços ineficientes ou mesmo inexistentes. No quesito Vida, entendemos o mais importante, a Saúde da comunidade, haja vista, que através da saúde se tem uma educação sólida, um trabalho produtivo, habita-se com comodidade, viaja-se despreocupadamente, ama e se relaciona com normalidade, enfim, tudo se baseia no setor saúde. Apesar de suma importância na vida cidadã, ela anda relegada a quinto plano pelo governo federal, que se proclama centro da defesa social, que até anteontem, tinha arrecadado mais de R$ 2 trilhões e R$ 82 bilhões de impostos, conforme registro do Impostômetro, e está se lixando para o povo. Um exemplo e exatamente neste setor vital, a fila de espera para cirurgias eletivas pelo SUS (dados do Conselho Federal de Medicina, 4/12/2017), quase um milhão de brasileiros precisando fazer uma cirurgia sem conseguir, muitos esperando há dez anos. Em Mato Grosso, a SES alega que faltam investimentos na saúde em todos os níveis, federal, estadual e municipal. O problema segundo a SES, começa com o próprio governo Federal, que desde 2007 não atualiza a Tabela SUS e que os valores pagos para a realização de procedimentos pela rede pública pelo SUS estão abaixo dos praticados no setor privado e isso faz com que diminua a oferta de serviços, como cirurgias, enquanto a demanda vem crescendo. Agora, vejam os senhores e senhoras, se em dez anos, entre fevereiro de 2007 e janeiro de 2017 o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), monitorado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), avançou 81,72%, como pode um medico trabalhar, atender os pacientes e se manter como cidadão digno com um diferencial de 81,72% em seus rendimentos? Veja o amigo leitor que a roubalheira do governo vai de operário diarista a doutor de hospital, a mão grande é geral, a gente paga e muito, para nada e ainda vem os poderosos berrar em reformas.  Assim, não dá, né?




fonte: Da Redação



anuncie aqui anuncie
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Com eficiência ímpar, as funcionárias da Biblioteca Municipal de Cáceres, Carla Kruger e Divina Aparecida Santos Conchev, estão sempre buscando divulgar com dinâmica e eficiência aos frequentadores da casa de cultura da Rua Padre Casimiro, as atividades lúdicas do estabelecimento, voltado à salutar pratica da leitura e pesquisas.  Registramos marcando mais um golaço no placar da vida Wellyngton Maciel, que recebe os abraços calorosos da companheira Darlene, da mãe Isabel, do filhão Samuel e do rol de amigos.  Que essa data se reproduza por muitos anos, sendo festejada com saúde e felicidades são os nossos votos.  Ilustrando a página hoje, a simpática professora Elaine Glerian, do corpo docente da Escola Estadual Onze de Março, (antiga Ceom) na disciplina de química, articuladora do Projeto Parlamento Jovem no estabelecimento de ensino de Cáceres, que teve este ano um aluno selecionado.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados