Diretora administrativa: Rosane Michels
Terça-feira, 24 de Abril de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Retratos do Brasil 1 as olimpíadas do trânsito
Data:07/12/2017 - Hora:08h33

Hoje começo a série Retratos do Brasil. Serão 5 textos que mostrarão o retrato da sociedade brasileira em 5 diferentes situações, mas que refletem exatamente como se comporta o cidadão brasileiro. Em todas elas, esse comportamento – individual e coletivo - se difere, e muito, de lugares em que a educação e a lei são sérias e respeitadas. A primeira delas será Retratos do Brasil – as olimpíadas do trânsito.

Pra começo de conversa, o trânsito brasileiro se assemelha a uma disputa de olimpíadas, com suas diversas modalidades e todo sacrifício inerente aos esportes de alto rendimento. Ao pegar um carro e dirigir nos centros urbanos do país você tem que se vestir de coragem e paciência, características obrigatórias para um campeão olímpico. Coragem, principalmente, se você for se aventurar nas ruas brasileiras, uma verdadeira Corrida com Obstáculos, terá que desviar de motoqueiros imprudentes e irresponsáveis que insistem em dirigir no meio das pistas, pedestres que atravessam fora da faixa e ônibus que são verdadeiros mamutes predadores. Pratica-se nas ruas do país também a Canoagem, pois quando chove é raro encontrar uma rua que não esteja alagada.

A paciência, virtude inerente a todos os campeões olímpicos, inexiste no trânsito brasileiro. A sucessão de traçados mal feitos de ruas e avenidas só é superada pela falta de educação, o que faz brotar uma geração de motoristas mal-educados que insistem em levar vantagem (de forma indevida e perigosa) em acostamentos, rotatórias, estreitamento de pista, estacionamentos e em faróis vermelhos. Isso quando não estão participando dos 100 ou 200 metros rasos ao imprimirem altas velocidades -  acima de 100 km/h - em pistas que comportam no máximo as velocidades de 70 ou 80 km/h. O que também nos torna impacientes e indignados é pegar um táxi em algumas cidades brasileiras, o que se assemelha ao (As)Salto Triplo: assalto no preço, assalto no trajeto e assalto na vergonha na cara.

Quando observamos o quadro de medalhas, verificamos que o Brasil possui 3 medalhas de ouro incontestáveis: número de atropelamentos, número de acidentes com morte e valor mais alto a se pagar por um automóvel. E está encaminhando mais duas medalhas: a de IPVA mais alto e de maior burocracia para se tirar carteira de motorista.

Para finalizar, os nossos departamentos de trânsito (nacional e estadual) se parecem com nosso comitê olímpico: envoltos em escândalos de corrupção e inoperante para resolver as bases do problema, este para melhorar as bases do esporte, aquele para tornar o trânsito menos mortal, mais humano e mais honesto. ***___Eustaquio Rodrigues Filho - Servidor Público




fonte: Eustaquio Rodrigues Filho



JBA anuncie
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
High Society
Curtindo as belezas da cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra as amigas Marinalva Denipotte Manfrin e Fabíola Campos Lucas. Uma ótima estada no País vizinho. Votos de breve recuperação a amiga Suzy Kristina dos Santos, que sofreu uma torção no tornozelo e está de repouso impossibilitada de andar. Estamos na torcida pela seu reestabelecimento. Grande abraço. Nosso Destaque VIP para a competente equipe do Kaskata Flutuante que serve a melhor comida da cidade. Forte abraço a família Natal que está a frente de bem servir os cacerenses e visitantes. Pra hoje fica a dica de saborear aquele delicioso peixe a La Kaskata.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados