Diretora administrativa: Rosane Michels
Segunda-feira, 23 de Abril de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
A Praça é Nossa
Data:21/10/2017 - Hora:07h47
A Praça é Nossa
Reprodução Web

Cronologicamente, o calendário registra neste final de semana e começo da próxima, várias datas comemorativas, a começar por este sábado, 21 de outubro, Dia do Contato Publicitário; Nacional da Alimentação na Escola e do Ecumenismo. Amanhã domingo, 22, Dia do Pára-quedista; do Enólogo; da Praça e Internacional de Atenção à Gagueira. Na segunda feira, 23, Dia da Força Aérea Brasileira e do Aviador. Como a gente é saudosista, escolhemos uma destas datas para o nosso bate-papo numa sopa de letrinhas deste sábado, a tradicional Praça, aquele logradouro especial dos encontros; dos pombos; da Dona Maria que vende pipocas e do Seu Zé do carrinho de algodão doce com bexigas nas varetas; enfim, a mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores e o mesmo jardim, como dizia Carlos Imperial naquela musica gravada pelo cabeludo Ronnie Von nos anos dourados. E por falar em Praça, a nossa Barão, que em 1883 era a da Matriz, recebia em fevereiro daquele ano, o Marco do Jauru, comemorativo do Tratado de Madri, de 1750. Outro logradouro que era a Travessa do Mercado e se transformou em Praça Major Carlos, nominada em homenagem ao pioneiro João Carlos Pereira Leite, uma espécie de senhor feudal da Fazenda Jacobina, onde nasceu em 4 de novembro de 1816, sendo  braço direito de sua mãe Maria Josepha, na condução dos impérios Jacobina, Descalvado, Jauru, Cambará, por ele fundadas, e as várias sesmarias que compunham as terras de propriedade dos Pereira Leite na região. Mas a gente não está aqui pra discorrer sobre histórias, já fizemos isso com garbo, na edição dos 239 anos de Cáceres, nosso papo hoje, é praça, né mesmo, Seu Daud, que bota banca há muitos anos aí na Major Carlos! Já tentaram uma vez tirar as bancas de jornais e revistas das praças de Cáceres, coisa de jerico, que não pegou, como se dizia nos anos 40 do século XX, hómessa! E a gente sem pabulagem, Égua, que o trem pegou mesmo, vôte, como diz o cacerense, que se não tchovê, tem movimento na banca da praça, igual salão de barbeiro, ali se lava a roupa suja, é a sagrada boca maldita de gente bacana. São os tais senadinhos, meio fora de moda devido a má fama do senado da república (com letra minúscula mesmo), onde metade está de merda até o pescoço, atolados em corrupção. Tem também as praças sem bancas, das noites escuras propicias para malandragens e namoricos furtivos; de encosto dos pés-fofos (o coreto da pracinha da Cavalhada), da Salvai-nos Duque de Caxias, do esquisito, onde o pivete que furtou o celular da loira e escambou com uma paradinha cheira sua farinha batizada; da ponta de esquina, onde se ajuntam desocupados num tunguete particular; tem até aquela da feira, que de praça só tem o nome, enfim, praça é praça pra toda obra, mesmo sem retreta, sem banca, sem sanitário de fazer xixi. Neste detalhe, são todas elas aqui em Cáceres, da Barão, á Major, da Duque à da PM (exceto no Arraiá, os tais químicos), da COHAB Velha à Cavalhada e quem quiser se despertar, que se vire num boteco pra tirar água do joelho. Com ou sem atrativos, elas serão sempre Praças, como dizia o imortal poeta dos escravos Castro Alves; “A praça é do povo como o céu é do condor,” e depois de uma semana no batente aqui na redação, nada melhor que um banco de praça, pensando nela, sem dormir, né mesmo? Afinal, a Praça é Nossa, por enquanto.




fonte: Da Redação



anuncie AREEIRA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Curtindo as belezas da cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra as amigas Marinalva Denipotte Manfrin e Fabíola Campos Lucas. Uma ótima estada no País vizinho. Votos de breve recuperação a amiga Suzy Kristina dos Santos, que sofreu uma torção no tornozelo e está de repouso impossibilitada de andar. Estamos na torcida pela seu reestabelecimento. Grande abraço. Nosso Destaque VIP para a competente equipe do Kaskata Flutuante que serve a melhor comida da cidade. Forte abraço a família Natal que está a frente de bem servir os cacerenses e visitantes. Pra hoje fica a dica de saborear aquele delicioso peixe a La Kaskata.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados