Diretora administrativa: Rosane Michels
Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Cadeia pros 3 Pês
Data:01/08/2017 - Hora:08h39

O Brasil foi colônia de exploração de Portugal durante 322 anos e as nossas maiores riquezas foram levadas para Europa. Os portugueses dominaram os índios e escravizaram os negros. Porém o país não é mais colônia portuguesa, as capitanias hereditárias não existem mais, a escravidão foi abolida. Contudo desde daquela época até os dias atuais, as classes dominantes (ricos e brancos) não vão para a cadeia e os três pês da nossa sociedade: “preto, pobre e puta” lotam os presídios brasileiros. Os negros dominam a população carcerária do país, pessoas negras (pretas e pardas) representam a maioria nas penitenciárias brasileiras. De acordo com o estudo do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), 61,6% dos presos pertencem a esse grupo. Já entre o conjunto dos brasileiros, pretos e pardos são 53,6%.  No dia 26 de abril de 2016, o Ministério da Justiça fez um Levantamento Nacional de Penitenciárias e concluiu que o Brasil tinha 622.202 presos, o dado refere-se ao mês de dezembro de 2014, claro que atualmente,o numero é muito maior. Ainda de acordo com o Ministério da Justiça, a nossa nação tem a 4º maior população de presos do mundo. Somente Estados Unidos, Rússia e China possuem mais presidiário que a República Federativa do Brasil.

Diante desta triste realidade, o “aumento da criminalidade” como roubos, assaltos, seqüestros e tráfico de drogas são considerados o motivo da grande população carcerária. Por que apenas esses crimes são punidos e os crimes do “colarinho branco” não são? Por que a maioria dos políticos corruptos não é presa? Por que não prendem empresários que sonegam impostos? Os que possuem mais bens, mais escolaridade e mais influência política quase não são presos, será que só os pobres cometem crimes? Os crimes que levam ao maior número de condenações no Brasil são aqueles que os cidadãos de condições financeiras precárias cometem contra o patrimônio e não contra pessoas. Lamentavelmente na sociedade brasileira, há uma imensa discrepância entre os que têm condições de pagar excelentes advogados e os menos favorecidos econômica e socialmente. Os réus que dispõem somente de assistência judiciária gratuita (defensores públicos) são afetados, pois, ainda que existam esses profissionais nas Comarcas, eles estão cheios de processos, seja por falta de infraestrutura ou pela reduzida quantidade de pessoal. Os poderosos do Brasil (ministros, deputados, senadores, governadores, embaixadores, magnatas, banqueiros, empresários, fazendeiros, líderes religiosos famosos, artistas da televisão, cantores de sucesso, juízes, militares de alta patente, donos dos grandes veículos de comunicação dentre outros) têm recursos e pagam bons advogados. Dificilmente, eles vão para cadeia, a maioria consegue Habeas Corpus. No dia seguinte, os endinheirados estão livres da prisão… Já os menos favorecidos economicamente não conseguem pagar regiamente um bom advogado, ficam detidos por longo tempo… Portanto, no Brasil é muito mais fácil prender (pobre, preto, puta) com cem gramas de maconha do que condenar um agente público que tenha cometido fraude de R$ 1 milhão… ***___Sérgio Lopes. 




fonte: Sérgio Lopes



anuncie JBA AREEIRA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
zoom
High Society
Amigos, familiares e colegas se reuniram para festejar o niver da linda Kelly Ten Caten, estagiária do Escritório Cibele Simões Santos a quem enviamos os parabéns acompanhado com votos de saúde e muitos anos de vida.   Trocando de idade hoje o nosso amigo Cesar David Mendo. Que todos seus sonhos sejam realizados e todos os seus desejos alcançados. Feliz Aniversário. Sempre de bem com a vida, Denise Cristina Bodoni que  segunda-feira colheu mais uma rosa no jardim da existência. Que Deus lhe abençoe com um ano de paz, amor e prosperidades.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados