Diretora administrativa: Rosane Michels
Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Médico acusado de violência obstétrica após morte de bebê pode perder direito de exercer profissão
Data:10/06/2017 - Hora:09h49
Médico acusado de violência obstétrica após morte de bebê pode perder direito de exercer profissão
Ilustrativa

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) abriu sindicância para apurar a responsabilidade do médico Jarbes Balieiro Damasceno na morte de um recém-nascido, no Hospital São Luís, em Cáceres. Ele é acusado pelo pai da criança, Roni Willian Cuiabano do Couto, de violência obstétrica durante o parto de sua esposa, Rosa Maria Martins, 27, no dia 29 de maio. Se comprovada a ação, o profissional, que já responde a processo por um caso semelhante, pode perder o direito de exercer a medicina.

De acordo com a presidente da entidade, Maria de Fátima de Carvalho Ferreira, a existência de uma denúncia feita pelo Ministério Público Estadual (MPE), pode agravar a situação de Jarbes. Na ocasião, ele teria sido negligente ao comparecer ao centro cirúrgico, para a realização de um parto cesariano, mais de uma hora depois de as enfermeiras constatarem que o feto apresentava batimentos cardíacos fracos. O caso foi registrado no ano de 2010, na mesma unidade de saúde.

Já o processo tramita desde 2011 com base no resultado da investigação policial, por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). “Ante as condições de sofrimento apresentadas pelo feto durante o trabalho de parto, negligenciou-se, nada fazendo para evitar o óbito do nascituro. Outrossim, o denunciado agiu com inobservância às regras técnicas de sua profissão, vez que é médico ginecologista, capacitado tecnicamente para realização de partos naturais e cesariana”, diz trecho da acusação oferecida pelo MPE.

Ao Olhar Direto, Maria de Fátima explica que, como o caso ganhou repercussão e chegou ao conhecimento da entidade, o procedimento foi instaurado mesmo sem o registro de uma denúncia por parte de Roni. Sendo assim, ele ainda será notificado e ouvido pelo CRM, assim como sua esposa, o médico e demais testemunhas. Na sequencia, se reunidos indícios suficientes, a sindicância culminará na abertura de um  processo, que terminará com o julgamento do médico.

“É um processo delicado e não pode ser feito as pressas. Vamos reunir documentos avaliar o prontuário e ouvir as partes, com a garantia do direito a ampla defesa. No final disso tudo, no julgamento, será decidido pela absolvição ou condenação do médico, levando em consideração todas as apenações atribuídas a ele, sendo a mais grave delas, a perda do direito de exercer a medicina”, explica a presidente do Conselho.

A filha de Roni e Rosa morreu na segunda-feira (5), uma semana após o parto.  Em boletim de ocorrência registrado junto à Polícia Civil do município, o pai relatou o caso de violência obstétrica. Segundo ele, Jarbes agiu com grosseria e estupidez com a mulher, alegando que ela seria “muito mole” e fazendo com que as enfermeiras apartassem sua barriga com muita força. Durante o procedimento o médico também teria afirmado que estava dormindo, não estando disponível para ninguém.

Rosa sofreu uma hemorragia e precisou ser internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.  A administração da unidade informou que Jarbes já foi afastado de suas funções. 




fonte: Olhar Direto



anuncie JBA anuncie aqui
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
zoom
High Society
Endereçamos votos de felicidades a querida Maria Luzia que trocou de idade recebendo o carinho e abraços dos amigos e familiares. Que Papai do Céu lhe cubra com o manto da  saúde e amor. Está acontecendo no estacionamento do Juba Supermercados, sito a Rua Padre Cassemiro, a Feira do Livro Espírita realizada pelo Grupo Espírita Bezerra de Menezes. A feira que teve início ontem reúne inúmeras obras dos mais renomados autores espíritas. O evento  segue até sábado das 9h às 21h. Vale conferir. Flores multicoloridas a nossa querida assinante Alzira Lindote, Dona Giroca, que acompanha todas as manhãs nosso matutino. Obrigada pela leitura e por todos esses anos prestigiando o nosso jornal.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados