Diretora administrativa: Rosane Michels
Quarta-feira, 23 de Maio de 2018
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Coluna Religiosa: A nossa humanidade é tão amada e querida por Deus
Data:10/06/2017 - Hora:09h36
Coluna Religiosa: A nossa humanidade é tão amada e querida por Deus

“Portanto, o próprio Davi chama o Messias de Senhor. Como é que ele pode então ser seu filho?” (Marcos 12,37).

 

Jesus está dissipando um entendimento errado ou uma visão reducionista que alguns judeus tinham e que muitos de nós temos da figura do Messias.

Veja, Jesus é o filho de Davi, Ele é da descendência de Davi. O Messias é o filho de Maria, Ele é o filho adotivo de José, Ele nasceu da carne, da natureza humana da descendência de Davi. Nós, no entanto, corremos o risco de olharmos Jesus apenas na sua dimensão humana e não reconhecer n’Ele o Messias ungido, enviado e, sobretudo, o Messias que tem n’Ele a divindade, reconhecer que Ele é Deus como o Pai é Deus.

Jesus causou muitas controvérsias no passado; hoje, muitos querem olhar para Ele apenas de forma humana. Sem contar também os que vivem outro extremo, querem olhar Jesus apenas de forma divina. Jesus é um anjo no meio de nós. Ele só tinha necessidades divinas, nenhuma necessidade humana. Não!

Precisamos olhar para o Mestre Jesus como Nosso Senhor, como Nosso Deus e Salvador. Mas o magnífico, o belo de Deus é que Ele não desprezou a nossa humanidade, que é tão amada e querida por Ele, porque Ele se fez um de nós no Seu filho Jesus.

Muitas vezes, queremos desprezar a nossa natureza humana, não queremos reconhecer que o ser humano é ser divino também, porque o Divino veio resgatar e salvar a nossa humanidade. Quando eu olho para Jesus, encontro n’Ele aquilo que a minha natureza humana precisa. Minha natureza humana precisa ser divinizada, humanizada, porque, muitas vezes, nem humanos nós somos uns com os outros, na nossa vivência, na nossa relação uns com os outros.

Somos tantas vezes egocêntricos, ególatras, estamos tão centrados em nós, que vivemos uma humanidade fechada, diminuída e não vivemos a humanidade no seu sentido mais pleno e divino.

Em Jesus não se separa mais o humano e o divino, e o Divino se torna humano para resgatar a nossa humanidade. O desejo de Jesus é que essa natureza humana seja cada vez mais divinizada. Não confunda divinizada com ter culto à pessoa humana, mas sim ter em nós a graça de Deus, o Seu amor e tudo aquilo que Ele traz para o nosso coração.

Jesus, tu és o nosso Deus, o Nosso Salvador, o enviado, o Filho de Davi, o nosso Mestre, o Deus único em nossa vida. Que Jesus seja cada vez mais adorado, amado e aclamado no meio de nós!

Deus abençoe você!

 

Padre Roger Araújo: Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com




fonte: Padre Roger Araújo



JBA anuncie aqui
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
Multivida
High Society
Esteve em  Cáceres abrilhantando o Jantar Alemão do Lions Clube, a cantora Maria Moraes, que encantou dando um show digno de registro. Na oportunidade Maria aproveitou para rever a amiga de infância Fátima Tavares. Sucessos e volte sempre. O Destaque VIP desta quarta-feira é endereçado ao mais novo cacerense Juninho, que veio ao mundo para alegrar ainda mais a vida do colunável casal Erze Souza e Ryvia Sodré, que estão radiantes de felicidades pela chegado do primeiro herdeiro. Que Deus abençoe grandemente essa família e que Juninho cresça forte e saudável. Seja Bem Vindo! Embelezando nossa High Society a mais bela boneca Anelise Maria que comemorou seu primeiro aninho de vida envolto ao amor da mamãe Rosa, da vovó coruja Maria Stael, tios e amigos. Que Papai do Céu lhe presenteie com saúde, alegrias e muitos anos.
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados