Diretora administrativa: Rosane Michels
Quinta-feira, 27 de Julho de 2017
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Medida Provisória (MP) 766/2017
Data:02/06/2017 - Hora:10h03

Enquanto o país vive uma hecatombe, proveniente de uma série de: roubos, malversação do dinheiro público, lavagem de dinheiro, peculato, caixa 2, sonegação fiscal, corrupção ativa, passiva  e por ai vai. Medidas Provisórias (MPs), são aprovadas a toque de caixa, sem que a população fique atenta a cada uma delas,  o que é pior, quando uma delas, no caso da MP 766/2017, que instituiu o Programa de Regularização  Tributária (PRT), conhecido como refis, para parcelamento de dívidas com a Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN),  que tenham vencido até 31 de março de 2017 poderão ser refinanciadas nos termos do programa estabelecido. Empresas em recuperação judicial também poderão aderir.

O relator da mesma, o deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), pasmem os senhores, deve cerca de R$ 67 milhões a União.

Brasil, país no qual, o rabo abana o cachorro, tendo em vista, uma avalanche de Medidas Provisórias (MPs) pouco ortodoxas; que em sua  maioria, são comandadas e orquestradas, por parlamentares envolvidos em várias falcatruas e ilicitudes.

Além de ampliar o prazo e criar descontos generosos no Programa de Regularização Tributária (PRT), o relatório da MP 766, aprovada pela comissão mista do Congresso Nacional à quase um mês atrás, mais precisamente no dia 4 de maio; trazendo consigo, uma série de emendas com assuntos que vão além do novo Refis.

Muitas emendas, de uma forma o de outra, ensejaram à criação da “pejotização”, que se refere à contratação de serviços pessoais, executados por pessoas físicas, de modo subordinado, não eventual e oneroso, realizado por pessoa jurídica construída especialmente para esse fim, na tentativa de disfarçar eventuais relações de emprego que evidentemente seriam existentes, fomentando a ilegalidade e burlando direitos trabalhistas.

Governo fecha acordo sobre novo refinanciamento de dívidas (Refis),  que vai substituir o Programa de Regularização Tributária (PRT), desfigurado no Congresso pela inclusão de vários benefícios fiscais.

O relator da proposta, deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), em consonância com  parlamentares e Fazenda Pública, implementaram a implantação  do (Refis), que, permitirá ao contribuinte descontos em juros, multas e encargos, e ao mesmo tempo, utilizará créditos tributários para quitar a dívida.

Ficou acertado que nos casos de débitos acima de R$ 15 milhões (com menos multa, juros e encargos mais sem uso de créditos) o contribuinte terá que pagar uma entrada de 20% da dívida  em 2017.

Não sou eu quem está dizendo, no portal transparência, consta uma dívida do nobre deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), da ordem de R$ 67 milhões a União; por certo, o nobre deputado será um dos beneficiários dessas benesses.

Pare o mundo, quero descer!

 

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo (liciomalheiros@yahoo.com.br)




fonte: Professor Licio Antonio Malheiros



anuncie anuncie aqui AREEIRA
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
Multivida
High Society
Completou 15 primaveras a linda Maria Eduarda Manzoli que recebeu os amigos e familiares em grande estilo. Que essa data se repita por longos e significantes anos são os nossos votos. Felicidades e muitos anos de vida ao educador físico Flavio da Academia Shen Chuan que ontem trocou de idade. Uma quarta-feira repleta de boas energias a Geany Moraes e toda equipe da CVC Cáceres que oferece  os melhores pacotes para seu passeio ser inesquecível e o melhor com um precinho que cabe no seu bolso. Grande abraço!
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados