Diretora administrativa: Rosane Michels
Domingo, 19 de Novembro de 2017
Pagina inicial Utimas notícias Expediente High Society Galeria Fale conosco
JUBA
Secretaria de Saúde capacita servidores para fazer tratamento através da orelha
Data:30/05/2017 - Hora:09h15
Secretaria de Saúde capacita servidores para fazer tratamento através da orelha
Ilustrativa

A secretaria de Estado de Saúde, por meio da coordenadoria de Atenção Básica concluiu a formação de 136 profissionais da rede pública de saúde estadual e municipal, que representam 15 regiões de saúde, no curso sobre a auriculoterapia, que é uma forma de medicina alternativa ou complementar baseada na medicina tradicional chinesa, na reflexologia e em evidências científicas de que a orelha é um microssistema, com o corpo inteiro, representado no pavilhão auricular, a parte externa da orelha. É uma técnica de diagnóstico e tratamento baseada no pavilhão auricular, ou seja, através da orelha.

   O curso foi dividido em duas etapas: aula teórica de setenta e cinco horas e mais cinco horas de aula prática, desenvolvido por técnicos da Universidade Federal de Santa Catarina, do Ministério da Saúde e a secretaria de Estado de Saúde.

   "A partir de agora os servidores da saúde pública, médicos e enfermeiros, estão aptos a ministrar essa forma de tratamento nos pacientes que procuram os postos e policlínicas e até mesmo nos prontos-socorros e hospitais. Os próprios enfermeiros podem usar a técnica no momento de acolhimento do paciente, antes da consulta médica. Cada unidade passará por um processo de implantação do novo serviço e vai avaliar a aceitação por parte dos usuários do SUS," informou a farmacêutica da UFSC Emiliana Domingues.

   O tratamento por meio da auriculoterapia está previsto pela Portaria 977/2006 do Ministério da Saúde, como uma das práticas integrativas a serem implantadas na rede pública de saúde em todo o país. Até o momento já passaram pela capacitação os profissionais de saúde dos Estados de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo, Amapá, Alagoas, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Maranhão, Ceará, Pernambuco, Sergipe e agora Mato Grosso.

   De acordo com explicação da coordenadora de Atenção Básica da SES/MT, Alessandra Stefan Pottratz a orelha possui uma espécie de mapa com diversos pontos principais, comuns e internos, mais de 60 pontos, que correspondem a um órgão, sistema ou parte do corpo humano. O método de tratamento alternativo consiste em aplicar semente de mostarda ou de colza (couve-nabiça) em algum ponto da orelha que corresponda ao problema de saúde do paciente. A semente estimula terminais nervosos existentes na orelha e vai provocar estímulos no sistema nervoso central.

   Esse tratamento é indicado para diversos problemas de saúde, entre os quais dores em geral, ansiedade, diarreia, cólicas menstruais, náuseas na gravidez, tabagismo, obesidade, entre outros. O método pode ser usado isoladamente ou de forma complementar com o tratamento convencional. Alessandra Pottratz explica que não há contra indicação, nem restrição alguma, além de ser uma forma barata, rápida, não invasiva e com grandes resultados. 




fonte: Rose Velasco/SES-MT



AREEIRA JBA anuncie
»     COMENTÁRIOS


»     Comentar


Nome
Email (seu email não será exposto)
Cidade
 
(Máximo 1200 caracteres)
Codigo
 
Publidicade
zoom
Multivida
High Society
 Trabalhando na nova coleção para exposição 2018 na Austrália, o artista plástico Sebastião Mendes. A exposição acontecerá em Sidney com a curadoria da marchand Sandra Setti. Talento sabemos que tem de sobra, só nos resta desejar muito mais sucessos.    O click de hoje vai para a gatinha Eloah Valentina, que encanta com seu jeitinho sapeca de ser. Beijinhos!!! Em festa ontem Joaquim Sodré marcou mais um golaço no placar da vida e recebeu o carinho especial dos amigos e familiares. Que Deus lhe conceda um ano de realizações e muita saúde.  Parabéns pra você!
Ultimas norícias
Exediente
Versão impressa
High Society
Fale conosco
VARIEDADES
POLÍTICA
POLÍCIA
OPINIÃO
ESPORTES
EDITORIAL
ECONOMIA
CIDADE
ARTIGO
Jornal Correio Cacerense 2015
Copyright © Todos direitos reservados